Lobo Xavier admite sair do CDS se o partido não apoiar Marcelo

Antigo dirigente aponta André Ventura como o “inimigo” do partido.

Foto
Lobo Xavier, no congresso de Gondomar do CDS, em 2016 Rui Farinha/NFactos

O antigo dirigente do CDS-PP, António Lobo Xavier, admite vir a sair do partido se a direcção dos centristas não apoiar Marcelo Rebelo de Sousa nas eleições presidenciais. A posição foi assumida, esta quinta-feira à noite, no programa da TVI Circulatura do Quadrado.

Lobo Xavier apontou o líder do Chega e candidato presidencial como inimigo do partido. “​O Ventura é o inimigo do CDS. Como é que se combate esse inimigo na perspectiva do CDS? Com ambiguidades? Com deixar a escolha para mais tarde?”​, questionou.

O antigo líder da bancada parlamentar defendeu que “o que tinha lógica era o CDS ser o partido que mais rapidamente apoiava a figura da democracia liberal”, admitindo sair do partido: “Se o CDS não apoiar Marcelo Rebelo de Sousa eu não vejo como possa continuar no CDS”.

O líder do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, não afasta o apoio a uma recandidatura Marcelo Rebelo de Sousa apesar de já ter assumido publicamente algumas críticas ao actual Presidente da República. 

Na mesma emissão, o social-democrata José Pacheco Pereira disse não contar ir votar nas próximas eleições presidenciais e o socialista Jorge Coelho (que se despediu ontem do programa) assumiu que iria votar no actual presidente da República, caso se apresente para um segundo mandato.

Marcelo Rebelo de Sousa remeteu a decisão da sua candidatura para o próximo mês de Novembro.