DR/Câmara Municipal de Matosinhos
Foto
DR/Câmara Municipal de Matosinhos

Se “já sabes cozinhar, já podes casar”? Não, diz a Câmara de Matosinhos

Campanha para a igualdade de género quer transformar comportamentos e acabar com a discriminação. Clara Não, Juliana Rocha e Diogo Faro são embaixadores do projecto que, além da colocação de cartazes, vai lançar um concurso sobre a temática.

A Câmara de Matosinhos lançou esta quinta-feira, 30 de Julho, a campanha de promoção para a igualdade de género — Igualigual — que pretende contribuir para a transformação de comportamentos desadequados que conduzem à discriminação, à exclusão e até à violência.

A abordagem de temas como a violência no namoro ou a desconstrução de mitos e crenças enraizados sobre as diferenças entre homens e mulheres são dois dos objectivos desta campanha apresentada esta tarde nos Paços do Concelho.

“Consideramos que a comunicação que se faz em torno deste tema tem um papel fulcral já que nós queremos chegar, obviamente a todo o público, mas queremos trabalhar muito com o público mais jovem para garantir que possa haver mais retorno (...) uma vez que o último estudo, de 2017, continua apontar para trabalho igual, salário mais baixo para as mulheres, menos habilitações literárias, mais incidência da violência doméstica sobre as mulheres e portanto, nós queremos chegar em particular ao público jovem”, explicou a presidente da Câmara de Matosinhos, Luísa Salgueiro, em declarações à Lusa.

Para isso, foi definida uma campanha de comunicação que funcionará em moldes diferentes aos que habitualmente a autarquia trabalha, fazendo uso de influencers digitais que funcionarão como embaixadores, como a ilustradora e blogger, Clara Não, a campeã ibérica de boxe, Juliana Rocha e o humorista Diogo Faro que, ao longo da campanha, irão divulgar nas suas redes sociais inúmeras comunicações alusivas ao tema.

PÚBLICO -
Foto
DR/Câmara de Matosinhos

Nos cartazes, explicou a autarca socialista, vão ser usadas frases chavão com o objectivo de desconstruir ideias preconcebidas, como é exemplo a utilizada no primeiro cartaz: “Já sabes cozinhar, já podes casar”, cuja última parte é rasurada e substituída por “já és independente”.

Denominada =Igualigual, esta campanha pretende contribuir para a transformação de perspectivas e comportamentos desadequados que perpetuam modelos desiguais nos papéis sociais, baseados na desigualdade de género e que conduzem à discriminação, à exclusão social, à vitimização, ao abuso de poder e até, inclusivamente, a episódios de violência nas relações.

Para além da colocação de cartazes com mensagens que desconstroem os mitos sobre as diferenças de género, está ainda prevista a realização de um concurso de artes visuais (fotografia, vídeo, desenho, entre outras) sobre a temática em questão, a decorrer entre o dia 17 de Agosto e o dia 30 de Setembro. Destinado a jovens dos 15 aos 25 anos, o concurso pretende fomentar, através da arte, a expressão dos valores da igualdade entre géneros. 

Esta campanha insere-se num conjunto de acções que tem vindo a ser desenvolvida pelo município com vista à promoção de uma Política integrada de desenvolvimento social em termos de Igualdade, Cidadania e Não Discriminação.

Neste âmbito, implementou-se o Plano Municipal para a Igualdade de Género, tendo sido criada a figura de uma Conselheira Municipal para a Igualdade, com o objectivo de trabalhar a temática numa perspectiva de proximidade e adequação à população concelhia.

Sugerir correcção