Quase mil condutores foram detidos por falta de carta entre Março e Julho

Período das detenções inclui todo o estado de emergência e o período de desconfinamento. Valor é 73% superior ao número de detenções no mesmo período do ano passado.

,Carro usado
Foto
No mesmo período em 2019, PSP deteve 547 condutores sem carta. Este ano, número de detidos aumentou em 400 Nuno Ferreira Santos

A Polícia de Segurança Pública (PSP) deteve 947 pessoas entre 18 de Março e 18 de Julho por condução sem carta, anunciaram esta terça-feira as autoridades. Em comunicado, a PSP assinala que “durante a pandemia actual registou-se um aumento significativo no número de detenções por falta de carta”.

Segundo a polícia, no mesmo período de 2019 foram detidas 547 pessoas por suspeita de prática do crime de condução sem habilitação legal. As 400 detenções registadas a mais em 2020 equivale a um aumento de cerca de 73% no número de condutores detidos por falta de carta.

A PSP aproveita para apelar “a que conduzam apenas aqueles que estiverem habilitados para o efeito, adoptando medidas preventivas e conscientes”.

O período das detenções engloba o estado de emergência nacional, que durou desde 19 de Março até 3 de Maio, e o estado de calamidade, que durou do dia 3 de Maio ao final de Junho, além de uma boa parte do período de desconfinamento. A 25 de Junho, o primeiro-ministro anunciava que o país passava para estado de alerta, excepto a Área Metropolitana de Lisboa.

Apesar do número mais elevado de condutores sem habilitações para conduzir na estrada, nos primeiros cinco meses do ano houve menos acidentes e menos feridos e mortos na estrada. Em Junho, a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária dizia que, em relação aos cinco primeiros meses de 2019, houve menos 4531 acidentes com vítimas (-32,8%), menos 63 vítimas mortais (-32,5%), menos 226 feridos graves (-26,8%) e menos 5824 feridos leves (-35%).

Sugerir correcção