Novo Banco rejeita prejuízo directo para o Fundo de Resolução com venda de imóveis

Instituição diz que generalidade dos imóveis está fora do mecanismo de protecção de capital. Dados sobre Projecto Viriato e Sertorius seguiram ontem, “em antecipação”, para a PGR.

politica,antonio-costa,ministerio-publico,imobiliario,bes,banco-portugal,
Foto
António Ramalho, presidente do Novo Banco LUSA/JOSÉ SENA GOULÃO

O Novo Banco rejeita que haja prejuízos directos para o Fundo de Resolução com a venda de imóveis no âmbito do Projecto Viriato e adianta que a “generalidade” daqueles imóveis não está coberta pelo mecanismo de protecção de capital. A instituição enviou “em antecipação” dados sobre venda de imóveis para a Procuradoria-Geral da República (PGR).