Casa da Cerca recebe A Garota Não e o concerto é transmitido este sábado à noite

O segundo concerto da sexta edição do ciclo Há Música na Casa da Cerca, em Almada, pode ser visto este sábado, às 21h30, no Facebook (também no do PÚBLICO): A Garota Não.

almada,culturaipsilon,musica,setubal,
Foto
A Garota Não no ciclo Há Música na Casa da Cerca DR

O ciclo Há Música na Casa da Cerca costuma atrair centenas de espectadores a Almada, mas este ano, devido à pandemia da covid-19, os organizadores alteraram o modelo. Em vez de concertos abertos ao público, têm vindo a ser pré-gravados para transmissão, no Facebook da Casa da Cerca, na noite e na hora para as quais estavam programados. Foi assim com os primeiros convidados do ciclo, os Fogo Fogo, e será assim também, este sábado, com o projecto A Garota Não, da setubalense Cátia Mazari Oliveira. Com uma duração de 32 minutos, o concerto pode ser visto no Facebook da Casa da Cerca e, neste caso, também no do PÚBLICO, às 21h30. O ciclo decorrerá até Dezembro, com Mário Franco Trio, Nilson Dourado, Mad Nomad, Luís Fernandes e Baltazar Molina.

Nascida em Setúbal, no dia 29 de Outubro de 1983, Cátia Mazari Oliveira andou pelo jazz e pela música popular brasileira até se fixar num projecto próprio. Foi assim que se transformou em A Garota Não e lançou em 2019 um disco, Rua das Marimbas n. 7, primeiro difundido nas plataformas digitais e depois nas lojas em CD, mas com um acabamento incomum, artesanal. Foi apresentado ao vivo no Pequeno Auditório do CCB, em Lisboa, em Fevereiro deste ano, antes de a pandemia ditar as suas leis.

Como ela explicou ao PÚBLICO, por ocasião do lançamento do disco, a música esteve sempre próxima: “Entre os 8 e os 10 anos estudei piano, em Setúbal, mas antes disso sempre tive muita vontade de ouvir música. Eu vivia num prédio, daqueles de bairro social, onde no rés-do-chão havia uma família cigana que ouvia flamenco, no primeiro andar uma família angolana que ouvia tudo e mais alguma coisa que tivesse aquela raiz africana e no andar de cima havia um vizinho que era louco por electrónica, tudo com o som alto. O meu pai ouvia José Afonso, Rui Veloso, Bob Dylan ou Neil Young, o meu irmão mais velho era ligado ao rock e ao metal, a minha mãe cantava muito bem. Tudo muito ecléctico. E eu cresci com aquele pulsar musical, em que o corpo vai dançando.”

Influenciada por nomes como José Afonso, de Fausto Bordalo Dias ou Sérgio Godinho, ela escreveu canções como No dia do teu casamento, A morte não sabe contar, Mundo do avesso (com excerto de uma entrevista a José Sócrates, na Operação Marquês), A canção, Adamastor, Monstro ou 80.nada. É esta a base do concerto na Casa da Cerca, a par de outras canções ainda não gravadas. Com Cátia, como A Garota Não, estarão, como no disco, os músicos Sérgio Mendes (guitarra) e Diogo Sousa (bateria).

Sugerir correcção