Bens arrestados em processos de alta criminalidade duplicam

DCIAP arrestou bens no valor de 19,2 milhões em 2019. Inquéritos à violência contra idosos e nas comunidades escolares passaram para o dobro entre 2018 e 2019, revela relatório anual do Ministério Público.

inquerito,sociedade,dciap,crime,justica,ricardo-salgado,
Foto
Director do Departamento Central de Investigação e Acção Penal, Albano Pinto Nuno Ferreira Santos

O Departamento Central de Investigação e Acção Penal mais do que duplicou as apreensões de bens provenientes da criminalidade altamente organizada entre 2018 e 2019, revela o mais recente relatório anual do Ministério Público.