Torne-se perito Crítica

Elogio da futilidade

A primeira individual de Julian Opie no Museu Coleção Berardo apresenta-nos uma obra vistosa e superficial.

museu-serralves,anish-kapoor,andy-warhol,critica,artes,culturaipsilon,
Fotogaleria
museu coleção berardo
museu-serralves,anish-kapoor,andy-warhol,critica,artes,culturaipsilon,
Fotogaleria
museu-serralves,anish-kapoor,andy-warhol,critica,artes,culturaipsilon,
Fotogaleria
museu-serralves,anish-kapoor,andy-warhol,critica,artes,culturaipsilon,
Fotogaleria

Com a data de abertura praticamente coincidente com o início do período de confinamento, a antológica do britânico Julian Opie (n. 1958), Obras inéditas, acabou por se transformar involuntariamente numa das primeiras exposições virtuais que surgiram nesse período. Foi possível, inclusive, assistir a uma visita guiada, conduzida pelo próprio artista, filmada e divulgada online. O que não é de estranhar: a exposição não tem curador oficial, sendo que o livro que a acompanha (uma peça de capa dura com muitas reproduções de obras que não estão incluídas na exposição) apresenta unicamente um texto introdutório da directora artística do museu, Rita Lougares, e comentários do próprio artista às suas obras.