Raide aéreo do Governo mata 14 civis no Afeganistão

Governo vai investigar o que se passou no ataque a um grupo que recebia um combatente taliban que fora libertado.

mundo,taliban,terrorismo,asia,afeganistao,medio-oriente,
Foto
REUTERS/ALAA AL-FAQIR/ARQUIVO

Pelo menos 14 pessoas morreram na sequência de raides aéreos governamentais na província de Herat. Os ataques tiveram lugar quarta-feira, na altura em que centenas de pessoas se juntaram, em Adraskan, para receberem um combatente taliban recentemente libertado pelo Governo, disse Noor Rhamti, uma testemunha que perdeu três familiares no bombardeamento.

O Governo disse já esta quinta-feira que o ataque aéreo vai ser investigado.

O combatente taliban, Ghulam Nabi, foi libertado na troca de prisioneiros acordada nas negociações que foram iniciadas entre os Estados Unidos e os rebeldes. 

As autoridades locais organizaram uma recepção a Nabi e a festa foi atingida pelos bombardeamentos. Fontes locais afirmam que o filho de Nabi, de nove anos, ficou ferida no ataque.

O enviado norte-americano para as conversações de paz, Zalmay Khalilzad, condenou o ataque aéreo através de uma mensagem difundida pelas redes sociais e mostrando-se satisfeito pela investigação anunciada pelo Governo.

As Nações Unidas têm criticado o aumento de mortes entre a população civil vítima de confrontos e ataques levados a cabo pelas partes em conflito.

“Em Herat, fotografias e testemunhos sugerem que muitos civis, incluindo crianças, foram vítimas do ataque aéreo das forças governamentais afegãs. Condenamos o ataque e apoiamos a investigação”, disse Khlilzad na mesma mensagem.

Sugerir correcção