Portugal recebeu 24,6 milhões de turistas em 2019

Estados Unidos registaram o maior crescimento em termos de mercados estrangeiros, mas o Reino Unido continuou a ser o maior responsável pelas dormidas no país. Deslocações de Portugal para o estrangeiro aumentaram mais de 23%.

estados-unidos,instituto-nacional-estatistica,economia,portugal,turismo,reino-unido,
Foto
Nuno Ferreira Santos

O número de turistas em Portugal atingiu os 24,6 milhões em 2019, o que representou um crescimento de 7,9% face a 2018 (22,8 milhões, com crescimento de 7,5%), segundo dados divulgados esta quinta-feira pelo INE.

Segundo o balanço do Instituto Nacional de Estatística hoje divulgado, a maioria dos turistas estrangeiros que deram entrada em território português no ano passado veio de Espanha, com um crescimento de 8,2%, ultrapassando os 6,2 milhões.

Fora da Europa, foi do Brasil que o país recebeu mais visitas em 2019, com mais de 1,3 milhões do que em 2018. Porém, o destaque vai para o crescimento de 23,2% de turistas provenientes dos Estados Unidos (ultrapassando os 941 mil).

O número de hóspedes atingiu os 29,5 milhões, o que se traduziu em 77,8 milhões de dormidas. Destas, 26,1 milhões foram asseguradas por residentes no país, o que corresponde a 33,6% do total e a um aumento de 5,9% face ao ano anterior. As restantes, 51,7 milhões de dormidas (66,4% do total), correspondem ao mercado externo e cresceram 3,5% em comparação com 2018.

Os turistas provenientes do Reino Unido continuaram, em 2019, a assegurar mais dormidas em Portugal, representado 18,8% do total registado por não residentes. Seguiu-se a Alemanha que, apesar da diminuição de 5,3% face a 2018, representou 12,3%.

Os estabelecimentos de alojamento turístico (hotelaria, alojamento local e turismo no espaço rural e de habitação) contaram com 92% dos hóspedes e 90,2% das dormidas em 2019. A hotelaria registou 58 milhões de dormidas, alojamento local contou 10,2 milhões e o turismo rural e de habitação atingiu os dois milhões.

Em 2019, o número médio de noites reduziu para 2,64 noites, o que corresponde a uma variação negativa de 2,9% (menos 1,5% para residentes e menos 3,5% para não residentes).

Recorde-se que estes dados, embora divulgados hoje, referem-se ao ano completo de 2019 e a uma situação pré-pandemia de covid-19, cujo primeiro caso de infecção em Portugal foi formalmente anunciado a 2 de Março último. Desde então, os números do sector são bastante diferentes, em termos de actividade e de chegadas de turistas do exterior.

Residentes em Portugal viajam mais

Em 2019, 5,4 milhões de residentes no país fizeram, no mínimo, uma deslocação com dormida fora do seu ambiente natural, ou seja, o equivalente a 53% da população (em 2018 este indicador contava 48%).

Os residentes em Portugal realizaram 24,5 milhões de deslocações turísticas, o que corresponde a um aumento de 10,8%. Dentro do país o número atingiu os 21,4 milhões (mais 9%) e para o estrangeiro contabilizou-se 3,1 milhões de deslocações (mais 24,7%).

O motivo que levou os portugueses a viajar foi maioritariamente “lazer, recreio ou férias” (49,4% das deslocações), seguindo-se “visita a familiares ou amigos” (37,8%) e, por fim, motivos “profissionais ou de negócios” (8,2%).

Cada viagem dos residentes do país teve em média 4,1 noites (mais 0,1 do que em 2018). A média de noites aumentou no turismo nacional (de 3,5 em 2018 passou para 3,6), mas diminuiu no estrangeiro (de 7,3 reduziu para 7,2).

Sugerir correcção