IPMA contou 13.500 raios em noite de trovoada no Centro do país

Das mais de 13 mil descargas eléctricas registadas, 2600 chegaram ao solo.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) registou 13.500 raios entre as 21h de segunda-feira e as 9h de terça-feira. A noite de trovoada começou por se fazer sentir no distrito de Beja, passando por Setúbal e Lisboa, e voltando depois ao interior para Évora e Portalegre.

No seu site, o IPMA publicou um mapa com a distribuição das mais de 13 mil descargas eléctricas. Chegaram ao solo 2600 descargas eléctrica, com algumas descargas a serem registadas nos arquipélagos.

O IPMA aponta a grande quantidade de trovões justifica-se com uma “instabilidade associada a uma depressão em altitude, centrada a sudoeste de Lisboa e em movimento lento para nordeste, deu origem a forte actividade eléctrica na zona centro e sul”.

Mem Martins, Sintra. Alex Paganelli
Póvoa de Santa Iria Pedro Sampaio
Miguel Manso
José Duarte
Fotografia tirada do terraço na Parede em Cascais. Um momento único. Mónica Silva
Vista de Lisboa perto da Gulbenkian Ana Catarina Santos
Pedro Henriques
Arran Rice
João Vasconcelos
Andreia Gonçalves
Nuno Mendes
Christian Gnad
João Soares
Marta Frazão
Vi este espetáculo em casa, sempre adorei! Mas confesso que meteu respeito. Seixal, Margem Sul Daniela Gaveias
Manuel Campos
Da janela, Almada Daniel Luz
Vivo em São Marcos, Cacém. Acordei com o meu cão a saltar da cama e a ir para a sala. Segundos depois, cai o primeiro relâmpago. Fui logo buscar a máquina e tentei fotografar alguns relâmpagos. Inês Marques
Fotos tiradas no marco geodésico de Carnaxide, às 00h26 Tiago Coelho
Zona do Lumiar; inclusive dá para ver a Calçada de Carriche. Esta trovoada foi algo de fascinante, a luz rasgava o céu por completo e de forma frenética numa mera fração de segundos. Não consegui sequer sentir medo quando de um fenómeno tão bonito se tratava; não observava uma trovoada como esta há anos e foi demasiado bom parar um bocado na correria que é a vida e contemplar a natureza a fazer das suas, calma e serena mas ao mesmo tempo com toda a sua força indomável, capaz de provocar tantas emoções num ser mortal, desde o medo à admiração. Leonor Serra
Odivelas Iuri Sulemane
Foto tirada da janela do meu prédio em Linda a Velha durante a trovoada do dia 20/21 julho 2020 Nuno Joel
Amora João Zeferino
Fotografia tirada pela minha filha de 13 anos, Laura Rebordão de Sousa, na Alameda D. Afonso Henriques. Veva Sousa
Tirada da minha varanda em Alvalade Sanaama Foodie
Miraflores Dina Alves
@tsuenamii
@joaochenrim
@paulo_castilho
Sobre a serra da Arrábida Miguel Mira Sequerra
Paulo Benza
Foi uma circunstância engraçada, pois estava a meio de uma corrida quando a trovoada começou. O cenário foi espectacular para quem gosta deste tipo de fenómeno. Não só me entreteve enquanto treinava como, por momentos, fui para outra dimensão, onde imaginava um filme com aquele cenário. Após chegar a casa, ainda fui a tempo de montar o tripé, captar imagens e continuar a desfrutar do meu fenómeno natural preferido. Bernardo Rodrigues
Estava em casa, na Penha de França, e fiquei a assistir ao espectáculo deslumbrante durante quase uma hora. Andreia Carvalho
Quando os céus se zangam com o mar... Zona do Alto do Restelo. Ana Sousa Lopes
Abrigada atrás da câmara para controlar o medo e registar o espectáculo, na Penha de França. Marta Osório
@pedro.vicente.pt
@apretasarita
@andreia.photo
Santarém @paulopatriko
Setúbal @ze.paulo.fotos
@faces.raw
@sofsantossphotos
@lisaabonaa
@nolwe
@alwaysblackphoto
@filipedelgadophotos
Setúbal @filipabento22
@silvia_gduarte
@msimagem
@_helenacoelho
@ritalynce
@lmrs2
@itsqueirozbitch
@ana_ri_24
@joaocscosta
@fotosbyrc
@diografic
@diogojmm
@l_barros_
@paulo4130
Sintra @luispcortes
@diogoalves.90
@oimenso
Palmela @miguel_carvalho
@rcaiano
@falafalabarato
Aa janela de casa, com vista para o Palácio Nacional de Mafra. Adoro ver a trovoada Alda Reis
Margem Sul, Costa de Caparica, Mariana Pascoa
Filipa Silva
André Abrantes
Inês Durão
Alta de Lisboa João Carreira
Foi incrível assistir a tamanho espectáculo. Penha de França, Lisboa. César de Melo
Tiago Xavier
Inês Pereira
Charles Monteiro
Rita Agostinho
Apesar da consciência do perigo, acho que valeu correr o risco. Serra da Mira, Amadora. Carlos Alberto Horta
Luís Carlos Infante
Fotogaleria
P3

Segundo o instituto, a noite de trovoada “foi muito visível, não só por ter ocorrido durante a noite, mas também pela ocorrência de um elevado número de descargas eléctricas intranuvem e entre nuvens”.

Também a Protecção Civil sentiu os efeitos da trovoada e, até ao início da manhã desta terça-feira, registou 76 ocorrências relacionadas com as descargas eléctricas que chegaram ao solo.

O IPMA disponibilizou ainda um vídeo onde é possível acompanhar a progressão da trovoada pelo país.

Sugerir correcção