Rendas em Lisboa recuam 8,7% entre Abril e Junho

Dados da Confidencial Imobiliário relativos ao segundo trimestre do ano dão conta da maior queda homóloga desde 2012 e de uma redução de 6,9% em cadeia, face aos primeiros três meses do ano, em Lisboa. Por outro lado, o Porto verificou subidas

habitacao,arrendamento,economia,porto,lisboa,imobiliario,
Foto
Nuno Ferreira Santos

No segundo trimestre de 2020 as rendas das casas em Lisboa registaram uma queda de 8,7%, face ao conjunto dos três meses de Abril, Maio e Junho do ano passado. É preciso recuar ao quarto trimestre de 2012 para se ver uma descida maior (menos 9,1%).

Os dados foram divulgados esta terça-feira, em comunicado, pela consultora Confidencial Imobiliário, que monitoriza o desempenho das rendas registadas nos contratos de arrendamento. 

Já entre Janeiro e Março deste ano as rendas tinham diminuído face a igual período de 2019, tendo sido registada a primeira queda homóloga em seis anos, com um decréscimo de 1,8% face ao primeiro trimestre do ano passado.

No segundo trimestre, verificou-se igualmente uma diminuição de 6,9% em comparação com o trimestre anterior (de Janeiro a Março deste ano). É a maior descida em cadeia na última década desde que o Índice de Rendas Residenciais (IRR), da Confidencial Imobiliário, acompanha o comportamento do mercado de arrendamento em Lisboa, em 2010.

Na média global para Portugal, numa leitura também referente a Abril e Junho deste ano, a diminuição em cadeia é menor do que em Lisboa, tendo sido registada uma queda de 2,8%. No entanto, tal como na capital, foi também o recuo mais acentuado do IRR nos últimos dez anos. Contudo, na média nacional, as rendas continuam 2,4% mais elevadas face ao segundo trimestre de 2019.

A nota da empresa indica ainda que o Porto manteve as rendas estáveis, tendo subido ligeiramente face ao primeiro trimestre (0,4%). Em termos homólogos, as rendas no mercado do Porto registaram uma variação positiva de 6,5%, mais do dobro do crescimento verificado no desempenho da média do país. 

Sugerir correcção