O cometa Neowise dá brilho aos céus de Julho

O cometa pode ser visto a olho nu depois do pôr do sol ou de madrugada. Estará mais próximo do nosso planeta nesta quinta-feira, 23 de Julho. Descoberto este ano, só voltará a “visitar” a Terra daqui a uns 6800 anos.

Cometa Neowise é visto no Parque Nacional Joshua Tree, na Califórnia, Estados Unidos, a 19 de Julho EPA/ETIENNE LAURENT
Fotogaleria
Cometa Neowise é visto no Parque Nacional Joshua Tree, na Califórnia, Estados Unidos, a 19 de Julho EPA/ETIENNE LAURENT

O cometa Neowise tem sido uma presença constante do céu de Julho e vai continuar a sê-lo — pelo menos até ao fim deste mês. Este cometa veio dos confins do nosso sistema solar, mede cerca de cinco quilómetros e só voltará a ser visível da Terra daqui a quase 7000 anos. O seu nome verdadeiro é C/2020 F3, mas tem sido apelidado de Neowise por causa do telescópio espacial da NASA que o descobriu no final de Março.

O cometa pode ser visto em duas ocasiões: de madrugada, a partir das 4h (hora de Portugal continental) e antes do brilho do nascer do sol, idealmente com um “bom horizonte e pouca luz”. Nos dias 19, 20 e 21 de Julho, o cometa estará também visível ao início da noite, entre as 22h e as 22h15.

Segundo a NASA, o objecto passará a uma distância “inofensiva” de 103 milhões de quilómetros da Terra e estará mais próximo do nosso planeta a 23 de Julho.

Saiba mais sobre o cometa Neowise 

Neowise é visto nos céus perto da Basílica de São Pedro, em Roma, Itália. 13 de Julho
Neowise é visto nos céus perto da Basílica de São Pedro, em Roma, Itália. 13 de Julho Reuters/GUGLIELMO MANGIAPANE
Cometa foi visível antes do amanhecer em Pécs, na Hungria, a 13 de Julho
Cometa foi visível antes do amanhecer em Pécs, na Hungria, a 13 de Julho EPA/TAMAS SOKI
Cometa Neowise é visto no Parque Nacional Joshua Tree, na Califórnia, Estados Unidos, a 19 de Julho
Cometa Neowise é visto no Parque Nacional Joshua Tree, na Califórnia, Estados Unidos, a 19 de Julho EPA/ETIENNE LAURENT
18 de Julho, Eupatória, Crimeia
18 de Julho, Eupatória, Crimeia Reuters/ALEXEY PAVLISHAK
Lausanne, Suíça, 19 de Julho
Lausanne, Suíça, 19 de Julho Reuters/DENIS BALIBOUSE
Malta, 19 de Julho
Malta, 19 de Julho Reuters/DARRIN ZAMMIT LUPI
Fotógrafo prepara-se para capturar imagens do Neowise em Anglesey, no País de Gales, a 20 de julho
Fotógrafo prepara-se para capturar imagens do Neowise em Anglesey, no País de Gales, a 20 de julho Reuters/CARL RECINE
Cometa é visto nos céus perto da fortificação de Munot, em Schaffhausen, na Suíça, a 21 de Julho
Cometa é visto nos céus perto da fortificação de Munot, em Schaffhausen, na Suíça, a 21 de Julho Reuters/ARND WIEGMANN
Malta, 20 de Julho
Malta, 20 de Julho Reuters/DARRIN ZAMMIT LUPI
Ilha de Hokkaido, Japão, 11 de Julho
Ilha de Hokkaido, Japão, 11 de Julho Reuters/Observatório NAYORO
Ronda, Sul de Espanha, 15 de Julho
Ronda, Sul de Espanha, 15 de Julho Reuters/Jon Nazca
Cometa visto da Estação Espacial Internacional (EEI) a 5 de Julho
Cometa visto da Estação Espacial Internacional (EEI) a 5 de Julho EPA/NASA
Cometa visto da Estação Espacial Internacional (EEI) a 5 de Julho
Cometa visto da Estação Espacial Internacional (EEI) a 5 de Julho EPA/NASA
Cometa é visto num campo de girassóis em Grafensulz, Áustria, 17 de Julho
Cometa é visto num campo de girassóis em Grafensulz, Áustria, 17 de Julho EPA/CHRISTIAN BRUNA
Cidadãos turcos observam o cometa a partir de uma praia em Istambul, Turquia, a 18 de Julho
Cidadãos turcos observam o cometa a partir de uma praia em Istambul, Turquia, a 18 de Julho EPA/TOLGA BOZOGLU
Cidadãos turcos observam o cometa a partir de uma praia em Istambul, Turquia, a 18 de Julho
Cidadãos turcos observam o cometa a partir de uma praia em Istambul, Turquia, a 18 de Julho EPA/TOLGA BOZOGLU
Ballintoy, Reino Unido
Ballintoy, Reino Unido REUTERS
Sugerir correcção