1933-2020

Juan Marsé, o retratista literário de uma Barcelona cinzenta

Prémio Cervantes em 2008, era autor de livros como Feitiço de Xangai, O Amante Bilingue, ou Essa Puta Tão Distinta. “Fiz-me escritor porque tenho um desajuste com a realidade que me rodeia, o meu país, a minha cidade, a minha época”, disse uma vez. Tinha 87 anos.

Juan Marsé
Foto
Juan Marsé Rui Gaudêncio

O escritor catalão Juan Marsé, um dos grandes nomes da literatura espanhola da segunda metade do século XX, morreu na noite de sábado num hospital de Barcelona em consequência de complicações de insuficiência renal, informou a sua agência.