Algarve tem o maior índice de transmissão de covid-19

Entre 10 e 14 de Julho, a nível nacional, o índice de transmissão (Rt) foi de 0,96, que indica que “o número de novos casos a cada geração é aproximadamente constante”, refere o INSA.

Foto
Desde o início da pandemia, a estimativa do Rt em Portugal variou entre 0,81 e 2,4 rui gaudêncio

O índice de transmissão (Rt) da covid-19 entre 10 e 14 de Julho foi de 0,96 a nível nacional, refere o relatório publicado esta sexta-feira pelo Instituto Nacional De Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA). De acordo com a análise, este valor indica que “o número de novos casos a cada geração é aproximadamente constante”.

Rt “deve ser calculado ao longo da epidemia e mede a transmissão ao longo do tempo”, lê-se no relatório. Se for igual a 1, quer dizer que uma pessoa infectada vai dar origem a outro caso de infecção. Caso esteja acima de 1, o número de casos irá aumentar e, se for inferior a 1, haverá uma diminuição das infecções, o objectivo que se pretende atingir.

Relativamente às diferenças entre regiões, o Algarve apresenta o número mais elevado neste indicador no mesmo período: 1,17. A região Norte registou 1,04, o Centro 0,99, Lisboa e Vale do Tejo 0,94 e o Alentejo 0,89.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde tem sido identificada a maioria dos novos casos de infecção, o Rt variou entre 1,01 e 1,14 entre 29 de Abril e 6 de Junho. De 7 a 14 de Julho, o valor tem estado próximo ou inferior a 1, aponta o relatório.

O INSA destaca ainda a região Norte, que tem o Rt acima de 1 desde o dia 13 de Junho, com variações entre 1 e 1,17. O relatório divulgado esta sexta-feira não inclui os dados das regiões autónomas dos Açores e da Madeira “devido ao reduzido número de casos reportado”.

Desde o início da pandemia, a estimativa do Rt em Portugal variou entre 0,81 e 2,4, com um decréscimo desde o dia 12 de Março e um aumento a partir do final do mês de Abril, explica o INSA. Desde meados de Maio que este indicador se situa acima ou muito próximo de 1.