Nuno Santos sobe de director de programas a director-geral da TVI

Canal de Queluz muda toda a estrutura em poucos dias. Falta agora escolher os novos directores de informação e programas.

Foto
Rui Gaudencio

Seis meses depois de ter assumido as funções de director de programas da TVI, Nuno Santos sobe agora ao patamar acima: a Media Capital acaba de anunciar que passa a partir de hoje a ser o novo director-geral da TVI. Em Janeiro, Nuno Santos tinha-se transferido do Canal 11 da Federação Portuguesa de Futebol para a estação de Queluz para substituir Felipa Garnel que permanecera no cargo também uns meros seis meses (ocupara o lugar de Bruno Santos que saíra no Verão passado depois de sete anos à frente do pelouro da programação).

O anúncio das novas funções de Nuno Santos chegam apenas três horas depois de a administração da Media Capital ter tornado pública a saída do administrador delegado Luís Cabral a seu pedido e a sua substituição por Manuel Alves Monteiro, que já era administrador não-executivo. Luís Cabral tinha assumido funções há precisamente um ano, em substituição de Rosa Cullell.

Mas as alterações na estrutura da televisão de Queluz de Baixo não vão ficar por aqui: no comunicado enviado às redacções, a estação adianta que “a nova estrutura da TVI será anunciada brevemente”. Ou seja, trata-se de uma remodelação completa já que agora será preciso escolher um novo director de programas para o lugar de Nuno Santos e também um novo director de informação depois de Sérgio Figueiredo ter deixado o cargo na passada semana - as suas funções têm sido asseguradas interinamente pelo jornalista Pedro Pinto, até aqui subdirector.

“Profissional reputado e experiente, dirigiu a programação dos três principais canais e Informação da RTP, tendo sido também o fundador e primeiro director da SIC Notícias”, diz a TVI sobre Nuno Santos, de 52 anos. O conselho de administração afirma que a escolha de Nuno Santos se inscreve num plano de “transformação” da estação de televisão e numa “visão integrada da actividade da TVI, com o objectivo de colocar o canal e toda a plataforma de conteúdos numa posição de ainda maior destaque no mercado dos media” nacional.

Depois de ter perdido no ano passado a liderança das audiências televisivas que detinha há 12 anos, a TVI tem agora uma árdua batalha pela frente para reconquistar espectadores - a nova edição do Big Brother devia ter ajudado, mas não tem tido o sucesso esperado.

No comunicado da TVI, Nuno Santos é citado dizendo contar “com todos para esta mudança exigente, sustentada numa organização moderna, ágil e focada no futuro. O conteúdo e as pessoas estão no centro da nossa actividade e teremos o arrojo e a inovação que os tempos pedem.”