“Nunca se viu um Verão assim”: conheça os perigos e os cuidados a ter nos dias de maior calor

Há frases que se repetem todos os Verões: “Nunca se viu um Verão assim.” Ou: “Não me lembro de tanto calor.” O facto é que com o estio vêm sempre dias muito quentes e há cuidados a ter.

Atletismo
Foto
As actividades ao ar livre devem ser realizadas fora das horas mais quentes Paulo Pimenta

Seja qual for o mês, é raro o Verão em que não há uma chamada “onda de calor”, isto é, dias em que as temperaturas sobem para valores elevados, que, por regra, se fazem acompanhar por valores do índice ultravioleta muito altos ou mesmo extremos. Em Portugal continental, esta persistência de temperaturas elevadas traduz-se em máximas acima dos 40 graus em algumas localidades.

E, apesar de o sol trazer consigo a boa disposição, as comidas leves, as bebidas frescas e os dias de férias, também acarreta uma série de dissabores: desde simples escaldões até à desidratação ou ao aumento do risco de melanoma maligno — em Portugal, todos os anos, são diagnosticados cerca de dez mil novos casos.

Segundo a Direcção-Geral da Saúde, aliás, o melhor a fazer passa por se manter protegido do calor, hidratado e com a casa o mais fresca possível, sendo desaconselhada a utilização do forno ou de outros aparelhos que a aqueçam.

PÚBLICO -
Foto
Paulo Pimenta

No entanto, nem sempre é possível permanecer fechado dentro de quatro paredes. Porém, antes de sair e durante o período que estiver exposto, tome precauções.

Cinco dicas para se proteger do sol

  • Opte por sair de casa nas horas em que o sol já estiver a baixar, reduzindo ou anulando as actividades ao ar livre entre as 12h e as 16h;
  • Use chapéu, roupa de cor clara e óculos escuros;
  • Aplique protector solar, pelo menos, 30 minutos antes de sair à rua, com um factor de protecção igual ou superior a 30. Reforce a aplicação ao longo do dia; na praia, faça-o pelo menos de duas em duas horas ou sempre após sair da água;
  • Proteja o cabelo e os lábios com produtos específicos;
  • Beba muita água e consuma regularmente frutas e legumes  para bebés, é aconselhado o reforço da oferta de água quando alimentandos com leite de fórmula; em aleitamento materno, deverá ser aumentada a oferta da mama e a mãe deve reforçar a ingestão de água.

E no caso de uma insolação?

  • Saia do sol;
  • Não use outras roupas senão de algodão para cobrir as áreas afectadas;
  • Procure arrefecer o corpo, recorrendo a toalhas húmidas ou tome um duche suave com água quase fria;
  • Beba muita água e exclua as bebidas alcoólicas da dieta;
  • O recurso a anti-inflamatórios, como o ibuprofeno, poderá revelar-se necessário — consulte o farmacêutico ou a linha de saúde (808 24 24 24);
  • Uma loção não perfumada à base de aloé vera pode ajudar a acalmar a irritação cutânea e contribuir para uma cicatrização mais célere.

Com o calor poderão decorrer ainda outras complicações, explicadas pela Direcção-Geral da Saúde

Cãibras

Podem acontecer pela simples exposição ao calor intenso, durante ou após actividade física intensa ou por uma hidratação inadequada. Os sintomas manifestam-se por espasmos musculares dolorosos.

O que fazer: parar a actividade física, se for o caso, e descanse num local fresco; estique os músculos e massaje-os suavemente; beba sumos de fruta natural sem adição de açúcar e/ou bebidas contendo electrólitos (bebidas para desportistas). Procure ajuda médica, se as cãibras persistirem.

PÚBLICO -
Foto
Paulo Pimenta

Golpe de calor

É uma situação muito grave. Acontece quando o sistema de controlo da temperatura do corpo deixa de trabalhar. O corpo deixa de produzir suor e não arrefece. A temperatura corporal pode, em 10-15 minutos, atingir os 39ºC, provocando deficiências cerebrais ou mesmo a morte, se a pessoa não for socorrida rapidamente. Os sintomas incluem febre alta, pele vermelha, quente, seca e sem produção de suor, pulso rápido e forte, dor de cabeça, náuseas, tonturas, confusão e perda parcial ou total de consciência.

O que fazer: ligar para o número de emergência 112. Entretanto, deve levar a pessoa para um local fresco ou para uma sala com ar condicionado; aplicar toalhas húmidas ou pulverizar água fria para arrefecer o corpo e arejar o ambiente à sua volta com uma ventoinha ou mesmo com um abanador. Se a pessoa não estiver consciente, não lhe dê líquidos.

Esgotamento devido ao calor

Acontece quando o corpo perde muita água por causa da transpiração. Pode ser especialmente grave em idosos e pessoas com hipertensão arterial. Os sintomas incluem sede intensa, suor excessivo, palidez, cãibras musculares, cansaço e fraqueza, dor de cabeça, náuseas, vómitos e desmaio. A temperatura do corpo pode estar normal, abaixo do normal ou ligeiramente acima do normal. As pulsações alternam entre lenta e rápida e a respiração fica rápida e superficial.

O que fazer: chamar de imediato um médico ou ligar para o número de emergência 112. Entretanto, deve seguir alguns procedimentos: levar a pessoa para um local fresco ou para uma sala com ar condicionado; mantê-la deitada com as pernas levantadas; aplicar toalhas húmidas ou pulverizar água fria para arrefecer o seu corpo; dar a beber sumos de fruta natural sem açúcar e/ou bebidas contendo electrólitos (bebidas para desportistas), caso esteja consciente.

Sugerir correcção