Incidentes de cibersegurança sobem 101% no 1.º semestre

O aumento coincide com o momento de confinamento devido à pandemia de covid-19.

Em Março de 2020 foram registados 138 ciberataques
Foto
Em Março de 2020 foram registados 138 ciberataques Reuters/KACPER PEMPEL

O número de incidentes registados pelo Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS) aumentou 101% no primeiro semestre, em termos homólogos, para 689, de acordo com o boletim do Observatório de Cibersegurança divulgado esta segunda-feira.

“Ao longo do primeiro semestre de 2020, registou-se um aumento significativo no número de incidentes entre os meses de Fevereiro e Abril, ocorrendo depois uma diminuição constante entre os meses de Abril e Junho”, refere o Observatório de Cibersegurança de Julho.

“O aumento coincide com o momento de confinamento devido à pandemia de covid-19”, sendo que, “comparando com o período homólogo de 2019, o primeiro semestre de 2020 regista um aumento de 101% no número de incidentes”, lê-se no documento.

Só em Março de 2020, foram registados 138 ciberataques no CERT.PT, o serviço do Centro Nacional de Cibersegurança que coordena a resposta a incidentes informáticos que envolvem operadoras de serviços essenciais e infra-estruturas críticas, prestadores de serviços digitais e entidades do Estado. O valor representa um aumento de 84% face a Fevereiro, em que foram registados 75 ataques.

Em Abril o número atingiu 150, o qual baixou para 138 incidentes em Maio. No mês passado, foram registados 106 incidentes.

De acordo com o documento, “34% é a tendência de crescimento no número de incidentes registados pelo CERT.PT no segundo trimestre, relativamente ao primeiro trimestre deste ano, de 295 para 394”.

Já face ao segundo trimestre de 2019, “com um registo de 176 incidentes, verifica-se um crescimento de 124%”, refere.

No segundo trimestre foram registados 160 incidentes de phishing (ataque informático que visa ‘pescar’ dados sensíveis de um utilizador), sendo o tipo de incidente mais frequente, seguido do sistema infectado por ‘malware’ (68 incidentes) e do acesso não autorizado (41 incidentes).

O CNCS faz alertas regulares sobre estes tipos de esquemas de phishing no Twitter. Os exemplos incluem SMS falsos de bancos, prémios inexistentes dos CTT, emails fraudulentos do Sapo, e sites maliciosos disfarçados da Meo e do DHL.

Mais de um terço (37%) dos incidentes de phishing registados pelo CERT.PT no segundo trimestre deste ano “afetaram o setor bancário”.

Sugerir correcção