O “desafio” é não pôr na rua quem dela saiu para escapar à covid-19

Henrique Joaquim assumiu há seis meses lugar de coordenador da Estratégia Nacional de Integração das Pessoas em Situação de Sem Abrigo. Se 324 camas em housing first e 270 em apartamentos partilhados não chegarem, diz que se lançará novo aviso.

Foto
Durante o confinamento, mais de 500 pessoas foram acolhidas em centros improvisados de Norte a Sul do país Nuno Ferreira Santos

Algumas estão a ser relocalizadas, mas as 21 estruturas de acolhimento de emergência criadas no pico da pandemia “devem continuar a funcionar enquanto houver quem precise”. O “desafio” – diz o gestor da Estratégia Nacional de Integração de Pessoas Sem Abrigo, Henrique Joaquim – é ninguém voltar para a rua.