Futuro da democracia polaca joga-se entre Duda e Trzaskowski

Sondagens dão empate técnico entre o Presidente conservador Duda e o autarca liberal Trzaskowski, numa eleição em redor da identidade e dos temas culturais. Poder de veto presidencial é crucial para a viabilidade do projecto iliberal do Governo.

judeus,mundo,uniao-europeia,eleicoes,polonia,europa,
Fotogaleria
Rafal Trzaskowski, presidente da câmara de Varsóvia Krzysztof Swiderski/EPA
judeus,mundo,uniao-europeia,eleicoes,polonia,europa,
Fotogaleria
Andrzej Duda, Presidente da Polónia DAREK DELMANOWICZ/EPA

Há muito tempo que uma eleição presidencial na Polónia não tinha tanta importância para o futuro do sistema político e democrático do país. Mais do que um braço-de-ferro entre o Presidente Andrzej Duda e o presidente da câmara de Varsóvia, Rafal Trzaskowski, empatados nas sondagens, a segunda e decisiva ronda da votação, este domingo, põe em confronto duas sociedades aparentemente antagónicas. O seu desfecho ajudará a definir o rumo da deriva antidemocrática e iliberal liderada, desde 2015, pelos ultraconservadores do partido Lei e Justiça (PiS).

Sugerir correcção