Comboio histórico Miradouro regressa no domingo para ligar Porto e Pocinho

CP suspendeu percurso em 2019, alegando falta de rentabilidade, uma decisão que foi criticada pela Comunidade Intermunicipal do Douro criticou decisão.

Ministro das Infra-estruturas, Pedro Nuno Santos, no interior de uma carruagem do Miradouro.
Foto
Ministro das Infra-estruturas, Pedro Nuno Santos, no interior de uma carruagem do Miradouro. ESTELA SILVA/LUSA

O comboio histórico conhecido como Miradouro, que foi suspenso em 2019, regressa a partir de domingo para “assegurar todas as ligações inter-regionais que circulam entre o Porto e o Pocinho”, anunciou este sábado a CP – Comboios de Portugal.

“A partir do próximo dia 12 de Julho [este domingo], o comboio Miradouro passa a assegurar todas as ligações inter-regionais que circulam entre o Porto e o Pocinho, um dos trajectos ferroviários mais emblemáticos da nossa rede”, refere um comunicado da empresa.

O Miradouro é um comboio histórico cujos percursos foram suspensos em 2019, altura em que a CP justificou a paragem alegando falta de rentabilidade.

Em 4 de Abril do ano passado, a Comunidade Intermunicipal do Douro (CIM Douro) classificou como “escandaloso” o fim deste comboio turístico e anunciou ter pedido reuniões urgentes à CP e ao Ministério das Infra-estruturas.

No dia 11 do mesmo mês, o então presidente da CP referiu que os comboios turísticos no Douro e no Vouga não iriam acabar, justificando o reajustamento em função da taxa de ocupação e da rendibilidade do produto.

“Temos números de taxas de ocupação e do número de passageiros transportados. Há uma queda acentuada de 2017 para 2018. Em 18, caiu. Em função desse comportamento da procura, houve necessidade de reajustar o modelo. O que é que fizemos? Mantivemos a oferta, quer no Vouga, quer no Douro, todos os sábados, no período que vai de Junho a Outubro”, afirmou então Carlos Nogueira.

Recentemente, em 3 de Junho, o ministro das Infra-estruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, acompanhado do secretário de Estado das Infra-estruturas, Jorge Delgado, fez uma viagem no comboio Miradouro, entre o Porto e a Régua, onde foi feita a apresentação das primeiras carruagens Schindler que entram ao serviço da CP na Linha do Douro.

A composição do Miradouro é formada por locomotiva e pelas carruagens Schindler, produzidas na década de 40 pela fabricante suíça com este nome.

Na sua nota de hoje, a CP acrescenta que estas carruagens “beneficiam de um grande espaço interior, de janelas amplas e panorâmicas”, o que proporciona aos clientes uma forma de “melhor contemplar, ao longo do trajecto, as paisagens do Douro vinhateiro”.

O comboio Miradouro resulta de uma aposta da empresa em recuperar um conjunto de material circulante. Este comboio assegurou o serviço de transporte na Linha do Douro, entre 1949 e 1977.

Sugerir correcção