Contratos com cientistas assinados antes de queixas serem analisadas

FCT garante que direitos de todos os candidatos à segunda edição do concurso Estímulo ao Emprego Científico serão “salvaguardados” e admite abrir mais vagas para acautelar quem passe para um lugar que permita aceder a um contrato.

Protesto contra precariedade dos investigadores
Foto
Protesto contra precariedade dos investigadores LUSA/MIGUEL A. LOPES

A Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) decidiu dar início em Maio ao processo de contratação de 300 investigadores no âmbito da segunda edição do concurso Estímulo ao Emprego Científico Individual, destinado a combater a precariedade nesta área, antes de terminar de analisar as contestações que os candidatos apresentaram à lista provisória, divulgada em Novembro. Vários cientistas com esperança de conseguirem subir a sua posição ficaram revoltados com a decisão, mas a FCT garante que serão “salvaguardados os direitos de todos os interessados”.