Há mais dois livros que prometem mostrar quem são Donald e Melania Trump

Too Much and Never Enough é o novo livro de Mary Trump, a única sobrinha do actual Presidente dos Estados Unidos. Melania and Me é o relato de 15 anos de amizade entre Stephanie Winston Wolkoffda e a primeira-dama.

Foto
O casal presencial durante as celebrações do 4 de Julho, na Casa Branca Reuters/CARLOS BARRIA

Depois de The Art of Her Deal: The Untold Story of Melania Trump e The Room Where It Happened, Donald e Melania Trump enfrentam mais duas publicações que prometem desvendar um pouco mais sobre as suas personalidades. O primeiro a ser lançado é Too Much and Never Enough: How My Family Created the World's Most Dangerous Man de Mary L. Trump, editado pela Simon & Schuster, e que é descrito, pela editora, como “um retrato revelador de Donald J. Trump e da família tóxica que o criou”. O que se refere a Melania foi escrito por Stephanie Winston Wolkoff, amiga da primeira-dama, e chama-se Melania and Me.

Comecemos pelo primeiro, que teve a sua publicação suspendida pelo Supremo Tribunal de Nova Iorque até à semana passada e cujo lançamento está marcado para a próxima terça-feira, 14 de Julho. “Além dos relatos em primeira mão que posso dar como filha do meu pai e única sobrinha do meu tio, tenho a perspectiva de uma psicóloga clínica formada. Too Much and Never Enough é a história da família mais conhecida e poderosa do mundo. E eu sou a única Trump que está disposta a contá-la”, declara Mary L. Trump num comunicado divulgado pela editora, citado pelo Guardian.

Foto
A editora já divulgou a capa do livro de Mary Trump DR

Ao longo do livro, é descrita a educação de Trump por uma mãe que estava doente e um pai obcecado pelo trabalho, para quem “o amor não significava nada” e que apenas “esperava obediência”, o que resultou em abuso infantil. Mary L. Trump compara o actual Presidente dos Estados Unidos com o Donald Trump de três anos, “incapaz de crescer, aprender ou evoluir, incapaz de controlar as suas emoções, de moderar as respostas ou de receber e perceber informação”.

Para além de se opor à carreira política do tio através dos meios de comunicação social, a sobrinha foi uma peça fundamental para o The New York Times noticiar os assuntos fiscais da família, o que valeu um Pulitzer ao jornal. A psicóloga está sujeita a uma ordem de restrição temporária imposta pelo Supremo Tribunal de Nova Iorque pela alegada violação de um acordo de confidencialidade, assinado há quase 20 anos, onde se compromete a não discutir em público assuntos familiares.

No espaço de três semanas, é a segunda vez que a publicação de livros sobre Donald Trump é levada aos tribunais. A Administração Trump também tentou proibir a venda do livro The Room Where It Happened, editado pela Simon & Schuster, mas sem sucesso.

A conselheira da primeira-dama

Quanto ao título sobre Melania Trump, a imprensa vende-o como um livro de memórias “explosivas”. No livro da antiga assistente não remunerada de Melania Trump, Stephanie Wiston Wolkoff, é detalhada a amizade de 15 anos com a primeira-dama. O lançamento de Melania and Me, publicado pela Gallery & Books, que faz parte da Simon & Schuster, está previsto para 1 de Setembro, avança a Vanity Fair.

Pouco depois de Donald Trump ter ganho as eleições, em 2016, Stephanie Winston Wolkoff foi nomeada conselheira não remunerada da primeira-dama — teve um papel fundamental na transição de Melania de Nova Iorque para a Casa Branca, orientando-a também nos assuntos políticos, como explica o The Guardian. Há dois anos, Winston Wolkoff foi forçada a abandonar a Casa Branca por, alegadamente, ter beneficiado monetariamente durante a cerimónia de tomada de posse de Trump. Mas a antiga conselheira considera ter sido abandonada e esquecida.

As memórias de Winston Wolkoff vão contar com detalhe o tempo que passou a “navegar na Casa Branca e na Ala Este” — e como mais tarde foi excluída da vida de Melania Trump. Winston Wolkoff era considerada uma das amigas mais próximas da primeira-dama.

Texto editado por Bárbara Wong