Veríssimo quer quebrar ciclo e vencer a matemática do título

Sucessor de Bruno Lage teve quatro dias para preparar a recepção ao Boavista, assumindo a responsabilidade e a luta com o FC Porto até ao fim.

benfica,futebol,sl-benfica,desporto,i-liga,futebol-nacional,
Foto
Veríssimo vai orientar o Benfica contra o Boavista DR

O sucessor de Bruno Lage, Nélson Veríssimo, deu esta sexta-feira a primeira conferência de imprensa enquanto novo responsável técnico do Benfica, garantindo que o grupo está consciente das responsabilidades e preparado para dar uma boa resposta frente ao Boavista, este sábado (21h15, BTV), no Estádio da Luz, mantendo ainda que as “águias” lutarão pelo título de campeão nacional enquanto for matematicamente possível.

“Estamos com espírito de missão. Tivemos quatro treinos para preparar o jogo com o Boavista, que é o nosso foco principal: trabalhar para o que nos espera no jogo com o Boavista”, disse Veríssimo, avisando que só falaria do jogo e não comentaria outras questões.

“Só vou falar sobre a preparação do Boavista. Foi-nos pedido para preparar o jogo e é com grande empenho, como aliás já era apanágio desta equipa. Por isso, vamos perceber as dinâmicas do Boavista e dar uma boa resposta”, sustentou, deixando uma palavra de esperança.

“O sentimento é de que matematicamente ainda é possível. Há cinco jogos pela frente e, enquanto essa possibilidade estiver em aberto, vamos lutar por ela”, garantiu, revelando-se preparado para a questão seguinte.

“Mudanças? Já esperava essa questão. Em quatro dias não há muito para mudar. Até porque estava na equipa técnica e me identifico muito com a forma de trabalhar. Acho que a resposta está dada”, rematou, confirmando apenas que Taarabt continua indisponível.

“É prematuro falar em ideia de jogo. O jogo com o Boavista é importante, em casa, e queremos ganhar para acalentar a esperança. É uma equipa que não faz muitos golos, mas também não sofre. Acredito que vamos estar à altura”, vincou.

“O melhor remédio será ganhar. Sabemos que vimos de um ciclo que não é positivo. E a melhor forma de o quebrar é ganhar. Estamos todos conscientes disso, dar uma resposta positiva e voltar às vitórias”.

Sugerir correcção