Opinião

A desigualdade de género nas empresas. E a RTP

Talvez fosse melhor alguém da tutela informar o Provedor da RTP que, entre promover a igualdade de género e as ofensas de opereta de conservadores, não há escolha nenhuma a fazer.

Na última semana tivemos três notícias que, parecendo que não, estão relacionadas. A primeira foi a telenovela à volta dos episódios dos desenhos animados Destemidas, que contam a história de mulheres que romperam com estereótipos e preconceitos e se notabilizaram num mundo que as relegava para lugares secundários. Não são desenhos animados políticos. Ou são, na medida em que é política a mensagem de que as mulheres valem, têm mérito, são destemidas, que o sistema que tenta confinar mulheres somente ao estatuto doméstico está a sufocar talento.