IP restringe acesso a estudos sobre modernização das linhas férreas

Empresa tem há pelo menos dois anos na gaveta vários estudos que analisam os incrementos de velocidade em vários corredores ferroviários, mas recusa torná-los públicos alegando que são documentos internos de trabalho.

Linha do Minho
Foto
Nelson Garrido

Do Minho ao Algarve. A Infraestruturas de Portugal possui um conjunto de estudos de viabilidade sobre a rede ferroviária nacional onde traça diferentes cenários de intervenção relacionando valores de investimento com aumentos de velocidade e capacidade das linhas. Foram realizados entre 2014 e 2018, mas a empresa recusa divulgá-los alegando que são documentos internos de trabalho e, nalguns caso, reconhece, inclusive, que a administração não os leu.