Ria de Aveiro Weekend vai limitar-se à grande regata de moliceiros

Barcos tradicionais em prova no sábado. Apresentação do evento coincidiu com o lançamento do guia que contempla 80 experiências à volta da ria.

bairrada,murtosa,camara-aveiro,fugas,aveiro,turismo,
Fotogaleria
Grande regata dos moliceiros, edição de 2019 Adriano Miranda
bairrada,murtosa,camara-aveiro,fugas,aveiro,turismo,
Fotogaleria
Grande regata dos moliceiros, edição de 2019 Adriano Miranda
bairrada,murtosa,camara-aveiro,fugas,aveiro,turismo,
Fotogaleria
Grande regata dos moliceiros, edição de 2019 Adriano Miranda
bairrada,murtosa,camara-aveiro,fugas,aveiro,turismo,
Fotogaleria
Grande regata dos moliceiros, edição de 2019 Adriano Miranda

Perante a actual conjuntura de pandemia, o habitual fim-de-semana de consagração da ria de Aveiro, o Ria de Aveiro Weekend (RAW), vai contemplar, este ano, apenas um evento: a grande regata dos moliceiros. Acontece este sábado, com largada pelas 15h30, na Torreira, no concelho da Murtosa, e chegada prevista para as 17h, em Aveiro - o público é convidado a assistir à prova a partir das margens, mantendo o devido distanciamento. A divulgação do evento decorreu esta segunda-feira e ficou marcada ainda pela apresentação do guia A Volta à Ria de Aveiro em 80 experiências. Um roteiro turístico que reúne propostas dos 11 municípios que integram a região de Aveiro e que pretende ser um contributo para a retoma do sector.

A decisão de limitar o RAW deste ano a um só evento prende-se com a necessidade de “fazer cumprir as boas regras para evitar o contágio” da covid-19, justificou Ribau Esteves, presidente da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA). O programa restringe-se, assim, à tradicional regata de moliceiros, evento que tem vindo a contribuir para a manutenção e recuperação dos barcos tradicionais da ria. Há retribuições de presença para todas as embarcações – este ano, estão confirmadas 15 – e prémios para os melhores classificados.

“São 16 mil euros de prémios, no total”, anunciou o líder da CIRA, numa conferência de imprensa realizada a bordo do primeiro (e novo) restaurante flutuante da ria de Aveiro. “Agora mais do que nunca temos que promover o nosso investimento privado”, realçou Ribau Esteves, no encontro que serviu também para a apresentação do novo guia turístico da ria. Esteve para ser lançado na edição deste ano da BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa, entretanto cancelada.

Tal como Phileas Fogg, pelas palavras de Júlio Verne, se aventurou pelo mundo em 80 dias, este guia parte à descoberta da região de Aveiro através de 80 experiências. Contempla seis rotas – Bairrada, Arte Nova, Arquitectura, Street Art, Birdwatching e Moinhos – e termina com oito razões para voltar à região de Aveiro ao longo de todo o ano – São Gonçalinho, Carnaval, termalismo, arte xávega, entre outros.

De distribuição gratuita, o guia irá ser divulgado nos postos do Turismo do Centro e de outros pontos do país. O próximo passo será a sua divulgação em Espanha, seguindo-se, assim que a situação epidemiológica o permitir, a sua apresentação noutros mercados internacionais – está prevista a sua tradução em várias línguas.