Black is King: o novo álbum de Beyoncé é para se ver e chega à Disney+ em Julho

O álbum visual, que chega à plataforma de streaming no dia 31 de Julho, surge depois do trabalho da artista no remake d’O Rei Leão e corresponde a uma “recordação comemorativa da experiência negra” no mundo.

beyonce,disney,televisao,cinema,culturaipsilon,musica,
Foto
Projecto recupera as lições d'O Rei Leão para "os jovens reis e as jovens rainhas de hoje que estão em busca das suas próprias coroas" DR

Beyoncé anunciou o lançamento do álbum visual Black is King. O filme, escrito e realizado pela artista, foi inspirado pelo remake d’O Rei Leão (2019) — um projecto com o qual Beyoncé colaborou, dando voz à leoa Nala e participando activamente no disco acompanhante The Lion King: The Gift — e chega à Disney+ no dia 31 de Julho.

Black is King, sublinham o conglomerado e a empresa Parkwood Entertainment, fundada por Beyoncé em 2008, é uma “recordação comemorativa da experiência negra” no mundo. Lançando um novo olhar sobre as lições d’O Rei Leão para “os jovens reis e as jovens rainhas de hoje que estão em busca das suas próprias coroas”, o projecto dá conta da “viagem transcendente” de um jovem rei, confrontando-se com um percurso marcado por “traição, amor e [a descoberta da sua] identidade”. Os seus antepassados, continuam os representantes deste álbum visual, “guiam-no rumo ao seu destino”, e, graças aos “ensinamentos” do seu pai, o jovem rei consegue “conquistar as virtudes necessárias para reivindicar a sua casa e o seu trono”.

As “lições intemporais” que o filme homenageia, lê-se no comunicado das companhias, são “reveladas e reflectidas pelas vozes negras de hoje”, cada uma “dona do seu próprio poder”. Black is King corresponde a uma “afirmação de um grande propósito”, celebrando a cultura negra com toda a sua “resiliência”, a beleza da sua “tradição” e a sua “excelência”.

No dia 19 de Junho — data em que se celebra o Juneteenth, que assinala o fim da escravatura nos Estados Unidos —, Beyoncé lançou a música BLACK PARADE, escrita em parceria com o marido Jay-Z e, assim como Black is King, concentrada no empoderamento negro. Neste domingo, 28 de Junho, a artista foi distinguida na 20.ª edição dos Prémios BET (Black Entertainment Television) com o Prémio Humanitário, tendo sido reconhecida pelo seu trabalho filantrópico e pelo seu recentemente lançado Black Business Fund, aponta a publicação norte-americana Pitchfork.

O álbum visual estreia-se em exclusivo na Disney+ sensivelmente um mês e meio antes de a plataforma de streaming arrancar em Portugal e em mais sete países europeus. A plataforma chega-nos a 15 de Setembro.

Sugerir correcção