Torne-se perito Opinião

Desconfinacalma

Nós, médicos, pedimos que nos ajudem. Porque com a vossa ajuda haverá menos doentes covid. Porque com a vossa ajuda podemos ter mais recursos para tratar os nossos doentes. Os covid e os não covid.

Desconfinacalma é uma atitude. Que une o valor da calma à situação de desconfinamento no atual momento de covid-19. Implica desconfinar com consciência, implica perceber que a covid não é um problema de alguns, mas de todos. Que é não algo para os outros, mas que é para todos.

A Ordem dos Médicos tem acompanhado permanentemente esta pandemia. Tem agido de várias formas e em vários fóruns. A situação na nossa região do Sul tem vindo a evoluir de maneira que todos conhecem. Não com a gravidade que alguns lhe pretendem dar, mas também não com a ligeireza que outros pretendem fazer acreditar.

O que se passa na região do Sul é essencialmente uma situação de saúde pública. Uma situação em que o tema não é ter mais camas de cuidados intensivos ou camas hospitalares, mas de simples cuidados de saúde pública. Identificámos sete desafios principais. Desafios que vamos lançar a todos, para todos terem como seus.

Vamos, pois, ter uma nova atitude: desconfincalma.

Use máscara, por si e por todos! Porque o uso de máscara é claramente um factor de diferença e limita o progresso da pandemia. Tudo o que lhe podemos atribuir de negativo é manifestamente compensado pelos ganhos associados ao seu uso. Não facilite. Use máscara.

Lave as mãos. Por si e por todos! Lavar bem e frequentemente as mãos contribui ativamente para limitar a disseminação do vírus. Não é uma medida nova, mas é uma medida essencial. Lave e desinfete as suas mãos.

Evite ajuntamentos! Sabemos que a nossa natureza nos leva a juntar em grupos, a partilhar espaços e a estarmos juntos uns dos outros. Mas temos que perceber que os ajuntamentos têm um efeito que ajuda principalmente a vida dos vírus e prejudica a nossa própria vida. Vamos ser racionais e encontrar, temporariamente, outras formas de nos encontrarmos socialmente.

Em caso de isolamento ou quarentena, fique em casa! Infelizmente há doentes, sintomáticos ou não, que não ficam em casa contrariando as ordens das autoridades de saúde. Ficar em casa quando convidados a tal é um ato de cidadania e de responsabilidade. Por isso, e mesmo que totalmente assintomático, não saia se essa foi a indicação que o seu médico lhe deu. Ajude-se e ajude os outros.

Se tiver sintomas, não esconda! Não devemos ser paranóicos com a doença. Não devemos ser hipocondríacos. Mas devemos ser responsáveis. Se tiver febre, tosse, cefaleias, contacto com doentes covid procure ajuda e siga as recomendações da DGS. O diagnóstico precoce é importante e parte depende de si.

Respeite a distância que nos mantém unidos! Gostamos de estar à distância de um toque. Mas para estarmos mais unidos é preciso estarmos um pouco distantes. Porque é essa distância que também contribui para podermos estar mais próximos, mais cedo.

Cuide por todos. Esta é uma doença de todos. Nos doentes e nos não doentes. Porque todos podemos e devemos ter um papel ativo nesta luta. Porque é com a atitude de todos que vamos conseguir ultrapassar esta fase mais cedo e com menos dor e luto. Vamos todos cuidar de todos.

E nós, médicos, pedimos que nos ajudem.

Porque com a vossa ajuda haverá menos doentes covid.

Porque com a vossa ajuda podemos ter mais recursos para tratar os nossos doentes. Os covid e os não covid.

Porque com a vossa ajuda existirão mais camas, mais acesso a meios complementares, mais profissionais para continuarem a sua tarefa. A fazerem o que sabem fazer bem. Tratar os seus doentes.

A Ordem dos Médicos e todos os médicos dão todo o seu saber, disponibilidade e tempo ao tratamento dos cidadãos. Dos doentes.

Pedimos, pois, a vossa ajuda para podermos continuar a fazer o que melhor sabemos.

Ajude-nos.

Desconfinacalma.

Sugerir correcção