Para onde posso ou não viajar de avião?

Ferramenta desenvolvida pela IATA ajuda-nos a perceber em que ponto está cada país no que às restrições diz respeito. Os países estão divididos em quatro categorias.

fronteira,aviacao,viagens,fugas,turismo,transportes,
Foto
Mohamed Abd El Ghany/Reuters

Os passageiros não podem entrar no país x. Os voos para o país y encontram-se suspensos. Os visitantes no país x ficam sujeitos a quarentena durante tantos dias. Os aeroportos no país x estão fechados. Há uma ferramenta que nos ajuda a perceber as nossas opções de viagem num momento em que uma parte do mundo planeia voltar a voar em breve.

Com os países europeus a ameaçarem reabrir as suas fronteiras aos turistas gradualmente — e com muitas restrições à entrada de alguns países —, há um site que nos ajuda a ter uma primeira noção do cenário actual.

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), que representa 290 companhias aéreas de 120 países, criou um mapa de regulamentos de viagem interactivo que permite que tanto as companhias aéreas como os viajantes vejam rapidamente as actuais barreiras de cada país a visitantes estrangeiros.

PÚBLICO -
Foto

No mapa, os países são identificados por diferentes tons de azul com base no grau de restrição actual e mediante as informações recolhidas pela IATA — que são continuamente actualizadas — que são classificados em quatro categorias: totalmente restritivo, parcialmente restritivo, não restrito ou em revisão.

Portugal encontra-se no grupo parcialmente restritivo.

Quando clicamos num ponto do mapa encontramos informações sobre a actual política fronteiriça, incluindo se são necessários períodos de quarentena, isenções e qualquer documentação ou teste que possa ser exigido no momento da chegada.

Este Mapa de Regulamentos de Viagem obtém as suas informações de companhias aéreas e de agências governamentais.

Os elementos da equipa IATA são os primeiros a admitir que, apesar de as informações estarem “correctas de acordo com o melhor conhecimento no momento da publicação”, não podem garantir a sua precisão, não se responsabilizando por erros ou omissões. “A IATA reserva-se o direito de adicionar ou de alterar informações a qualquer momento”, esclarece.

Embora o mapa seja uma ferramenta útil, os viajantes não devem usá-lo como um recurso final ou único. A IATA lembra aos usuários que os regulamentos em torno da covid-19 estão em constante evolução e que, por isso, o site oficial do governo de cada país deve ser consultado antes de qualquer compra de voos ou reserva de hotéis ou transportes no destino.

Sugerir correcção