Algarve abre vagas para contratação de mais de 40 enfermeiros para o Verão

O prazo das candidaturas termina a 29 de Junho. Estão abertas 42 vagas para os agrupamentos de centros de saúde do Barlavento, Central e Sotavento.

,Doença do coronavírus 2019
Foto
Manuel Roberto

A Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve pretende contratar 42 enfermeiros para reforçar os serviços dos centros de saúde da região durante os próximos quatro meses.

Foram abertas 42 vagas para os agrupamentos de centros de saúde do Barlavento (12 vagas), Central (23 vagas) e Sotavento (7 vagas), “ao abrigo das medidas excepcionais relativas à pandemia da covid-19”, refere a ARS Algarve num comunicado divulgado no site.

O prazo para a apresentação de candidaturas é de quatro dias úteis, terminando na próxima segunda-feira, dia 29 de Junho, e os enfermeiros podem candidatar-se através da informação disponível no site.

Na nota, a ARS Algarve esclarece que “aceitam-se candidaturas com vista ao recrutamento de 42 enfermeiros, sob forma de contrato de trabalho a termo resolutivo certo, pelo prazo de quatro meses, ao abrigo do nº 3, do artigo 6º, do Decreto-Lei nº 10-A/2020 de 13 de Março, alterado e republicado pelo Decreto-Lei nº22/2020 de 16 de Maio e Despacho nº 6607/2020 de 4 de Junho”.

Na sexta-feira passada, a ARS do Algarve abriu o processo de candidaturas para 60 médicos, de forma a assegurar uma capacidade de resposta das unidades de saúde da região durante o Verão. No entanto, o número de vagas para profissionais médicos é menor do que em 2019, quando foram disponibilizadas 66 vagas para este reforço.

A região do Algarve regista, até ao momento, 536 casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus e 15 vítimas mortais, de acordo com os dados que constam do boletim epidemiológico divulgado na terça-feira pela Direcção-Geral da Saúde.

Recorde-se que uma festa em Odiáxere, no concelho de Lagos, resultou em pelo menos 111 pessoas infectadas, das quais 19 são crianças com menos de 9 anos, indicou a ARS do Algarve, que terá realizado cerca de 2500 testes de diagnóstico à covid-19 para conter o surto.

Ao PÚBLICO, o presidente da ARS do Algarve, Paulo Morgado, garantiu, na semana passada, que há uma “capacidade de internamento instalada em Faro e Portimão para 250 doentes com covid” e defendeu que o surto no concelho de Lagos (que, à data, sabia-se ter causado pelo menos 37 infectados) não põe em causa a resposta do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Não obstante, Paulo Morgado admitiu que o reforço de médicos na região “tem sido sempre pouco”, embora saliente que “nunca aconteceu uma tragédia por causa disso”.

Porém, a falta de profissionais de saúde no Algarve não atinge apenas a classe médica, com o coordenador regional do Sindicato dos Enfermeiros, Nuno Manjua, a afirmar que a região “necessita de mais 500 enfermeiros em permanência” e que a Urgência do Hospital do Barlavento (Portimão) “está a rebentar pelas costuras”.

Sugerir correcção