Pela primeira vez, a campanha de Joe Biden angariou mais dinheiro do que a de Trump

Número de novos doadores para campanha democrata triplicou desde Fevereiro. Sondagens favoráveis dão gás à candidatura de Joe Biden.

Foto
Joe Biden tem uma vantagem de 14 pontos sobre Donald Trump na sondagem do "New York Times" Reuters/Jonathan Ernst

Pela primeira vez desde o início da campanha para as eleições presidenciais de Novembro nos Estados Unidos, Joe Biden conseguiu angariar, num mês, mais dinheiro do que Donald Trump. Em Maio, o presumível candidato do Partido Democrata angariou cerca de 81 milhões de dólares, enquanto o actual Presidente norte-americano se ficou pelos 74 milhões.

Apesar de a campanha do Partido Republicano ter mais dinheiro acumulado no banco – 265 milhões de dólares, segundo o The New York Times, enquanto o Partido Democrata terá entre 120 a 150 milhões –, as notícias são animadoras para Joe Biden, que viu o número de doadores triplicar desde Fevereiro. Só em Maio, metade do dinheiro acumulado veio de novos doadores.

Acresce que, em Maio, a campanha de Trump gastou mais do dobro que a de Biden, o que não se traduziu em resultados favoráveis para o Presidente norte-americano, que continua em queda nas intenções de voto. Na sondagem do New York Times e do Siena College, divulgada nesta quarta-feira, Biden surge com uma vantagem de 14 pontos em relação a Trump.

Na terça-feira, a campanha de Biden bateu recordes com a angariação de fundos online no ActBlue, o portal de angariação virtual do Partido Democrata, que contou com a presença de Barack Obama. O ex-Presidente surgiu ao lado do seu antigo “vice” e, juntos, angariaram 7,5 milhões de dólares, num evento que contou com 175 mil pequenos doadores. No mesmo dia, Obama participou ainda numa angariação de fundos virtual destinada a grandes doadores, tendo arrecadado mais 3,4 milhões para a campanha de Biden.

As doações milionárias são um dos pontos de viragem na campanha de Biden que,em Junho, arrecadou cerca de 22 milhões de dólares provenientes de apenas seis doadores. Na equipa eleitoral do Partido Democrata já se estabelece o objectivo de angariar mais 100 milhões de dólares até ao fim do mês. 

Nas primárias, Bernie Sanders conseguiu angariar mais dinheiro do que Biden. Mas, com a desistência de Sanders, que chegou a ser apontado como o favorito à nomeação democrata, em Abril, Biden pôde focar-se exclusivamente em derrotar Donald Trump. Beneficiou, também, do apoio de antigos concorrentes, como Elizabeth Warren e Kamala Harris, duas possíveis escolhas para o acompanhar como candidatas à vice-presidência dos EUA. Elas também estão a participar em acções de recolha de fundos para a campanha. Juntas, em duas acções separadas, Warren e Harris arrecadaram perto de dez milhões de dólares para Biden. 

Além disso, só em Maio o portal ActBlue contabilizou mais de 900 mil doações online de valores mais reduzidos. Entre estes estão dezenas de transferências de 1200 dólares, o mesmo valor de um apoio financeiro às famílias aprovado pelo Governo em Março, inserido num pacote de ajuda financeira em resposta à pandemia de covid-19, o que indica que muitos eleitores estão a encaminhar essa ajuda para a campanha de Biden derrotar Trump.