Torne-se perito Crítica

Comida de conforto

O filme do singapurense Eric Khoo fica-se por um anonimato insosso e sem paladar.

ipsilon-papel,cultura,ipsilon,critica,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria
ipsilon-papel,cultura,ipsilon,critica,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria
ipsilon-papel,cultura,ipsilon,critica,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria
ipsilon-papel,cultura,ipsilon,critica,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria

Ramen Shop bem pode fazer promessas de cozinha oriental de fusão, requintada e bem temperada, que o resultado final desta oitava longa do singapurense Eric Khoo não passa de “comida de conforto” bem executada mas insossa, sem surpresas nem rasgos. Nem é sequer falta de potencial: no seu melodrama sobre um jovem cozinheiro que procura retomar o contacto há muito perdido com a família da mãe, existe espaço suficiente para trabalhar a emoção dos paladares da nossa infância, o modo como a ideia de “lar” tem menos a ver com um sítio específico do que com uma confluência de sensações e emoções.