DR/Rick Vermin
Foto
DR/Rick Vermin

Em Amesterdão, nasceram pequenos jardins à volta dos caixotes do lixo

A ideia é diminuir a quantidade de lixo colocada à volta dos contentores, que aumentou no período de quarentena. “Estou a ficar cansado de limpar a porcaria das pessoas de Amesterdão”, disse o vereador Laurens Ivens.

À volta dos caixotes do lixo das ruas de Amesterdão, nos Países Baixos, estão a nascer pequenos jardins. A ideia? Fazer com que as pessoas deixem de colocar lixo à volta deles. Para já ainda em fase de experiência, estão plantados em 17 locais — e vão lá ficar durante três meses. 

O projecto não é totalmente novo: antes, já tinha sido colocada relva artificial à volta de 150 contentores. O resultado foi positivo, reduzindo o lixo depositado à volta, mas o plástico da relva rapidamente ficou estragado. Por isso, a solução foi investir no natural. 

Ao Guardian, Rick Vermin, da câmara municipal, disse que a presença de flores e folhas deveria funcionar como um “apelo moral”, ao mesmo tempo que dava um ar mais fresco às ruas de Amesterdão. Houve, contudo, uma preocupação: a de que os jardins acabassem por se tornar num obstáculo para as equipas que fazem recolha de lixo

O problema da acumulação de lixo à volta de contentores tornou-se evidente durante o período de quarentena, altura em que as pessoas começaram a encomendar mais comida e a gerar mais lixo. A este factor juntou-se o receio de tocar num contentor do lixo para o abrir — um convite para deixar os resíduos fora do caixote — e ainda a diminuição de trabalhadores da recolha de lixo, o que deixou os contentores, muitas vezes, cheios. 

O município teve de contratar duas empresas privadas para remover o lixo extra das ruas, durante o período de pandemia. E os representantes já se queixaram publicamente acerca da atitude dos residentes de Amesterdão no que toca ao lixo: “Estou a ficar cansado de limpar a porcaria das pessoas de Amesterdão”, disse o vereador Laurens Ivens, citado no mesmo texto. “Eles podem pôr luvas. Não há razão para pôr sacos de lixo nas ruas. Não pode continuar assim. Temos que ultrapassar esta crise juntos.”

Sugerir correcção