Bombeiros continuam a fazer frente a reactivações de incêndio em Vila do Bispo

Depois de o incêndio ter sido dado como dominado este sábado de manhã, o trabalho dos bombeiros tem sido de resposta a eventuais reactivações devido ao vento forte.

Estados Unidos
Foto
O vento forte não tem facilitado o trabalho dos bombeiros LUSA/LUÍS FORRA

As reactivações causadas pelo forte vento estão a manter ocupados os bombeiros que combatem o incêndio que começou na sexta-feira em Aljezur, na zona entre Budens e Barão de São Miguel, em Vila do Bispo, constatou a Lusa no local.

Esta área, por onde o fogo já tinha passado, voltou esta tarde a concentrar meios de combate, com as equipas de combate a procurarem posicionar-se da melhor forma para evitar perder o controlo do incêndio, que está dado como dominado desde as 9h10, segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro de Faro.

O fogo teve início na zona de Vilarinha, freguesia da Bordeira, concelho de Aljezur, e durante a tarde de sexta-feira e a noite passada chegou a ter três frentes activas, mas depois de ter sido dado como dominado na manhã deste sábado, o trabalho tem-se centrado em responder o mais rápido possível a eventuais reactivações, que têm sido uma constante durante o dia devido ao forte vento que se faz sentir na zona.

Apesar de o fogo estar dominado, o segundo comandante distrital de operações do distrito de Faro, Abel Gomes, advertiu que o trabalho iria ser intenso e era necessário manter o dispositivo no terreno, para garantir que não se perdia o trabalho positivo que tinha sido possível realizar durante a noite para controlar o incêndio.

Mas a preocupação mantém-se entre a população, como no caso de João Conceição, que a equipa de reportagem da Lusa encontrou entre Budens e Barão de São Miguel à procura de um telefone para alertar os bombeiros sobre um possível reacendimento.

“Já está a arder ali outra vez, o fogo já lá tinha passado, mas agora está a reactivar outra vez”, disse João Conceição, referindo que se mostrou “apreensivo pela família da namorada, que é de Budens”, mas foi rapidamente tranquilizado por um carro de comando dos bombeiros que passou na zona e garantiu que já estavam equipas a tratar da reactivação que tinha indicado.

Paula Costa também se mostrou “preocupada com a força do vento” e destacou o trabalho dos bombeiros, que têm “trabalhado sem parar” para defender casas dispersas que existem na zona.

Durante todo o dia, tem sido visíveis reactivações de fogo, que fazem intensificar o fumo, mas que acabam por voltar a perder intensidade depois de as equipas de combate os atacarem, com apoio dos meios aéreos.

Às 17h10, segundo dados do site da Protecção Civil na Internet, o incêndio está a ser combatido por 462 operacionais, 143 meios terrestres e nove meios aéreos, assim como duas máquinas de rasto, estando no terreno equipas de bombeiros dos distritos de Faro, Beja, Setúbal, Lisboa, Santarém e Leiria, disse fonte da Protecção Civil.

A mesma fonte disse não haver até ao momento registo de residências ardidas ou pessoas em risco. Para as 20h05, o CDOS de Faro tem prevista uma conferência de imprensa para fazer um ponto de situação sobre o incêndio rural, que teve início no concelho de Aljezur e se estendeu aos concelhos de Vila do Bispo e de Lagos.

O ponto de situação será realizado pelo Comandante Operacional Distrital, Vítor Vaz Pinto, acompanhado do secretário de Estado José Apolinário, coordenador da execução da declaração da situação de calamidade no Algarve, e dos presidentes das Câmaras de Vila do Bispo, Adelino Soares, de Aljezur, José Gonçalves, e de Lagos, Hugo Pereira.

Sugerir correcção