Kim Kardashian West vai ser a anfitriã de um podcast sobre justiça para o Spotify

A influenciadora norte-americana está inserida num programa de estágio num escritório de advogados em São Francisco, com o qual poderá propor-se ao exame na Ordem para exercer advocacia.

Kim Kardashian com o marido, o <i>rapper</i> Kanye West
Foto
Kim Kardashian com o marido, o rapper Kanye West REUTERS/Danny Moloshok

A estrela de reality shows Kim Kardashian West chegou a um acordo com a empresa sueca de transmissão de música Spotify para ser a anfitriã de um podcast relacionado com a reforma da justiça penal norte-americana, revelou, na quarta-feira, um representante da família West.

O programa, a ser disponibilizado exclusivamente no Spotify, estará ligado ao trabalho de Kim com o Projecto Inocência (​The Innocence Project, no original), uma organização sem fins lucrativos, fundada em 1992, que se dedica a exonerar indivíduos erradamente condenados, recorrendo a técnicas actuais, nomeadamente a testes de ADN — um dos últimos casos de sucesso correu mundo, depois de o homem em causa ter brilhado no programa de talentos America’s Got Talent​.

Acusado de violação e tentativa de homicídio e sentenciado a prisão perpétua, Archie Williams passou mais de 36 anos num dos estabelecimentos mais violentos do país, a Penitenciária Estatal do Luisiana, conhecida por “Angola” ou “A Quinta”, até que, com um simples teste às impressões digitais recolhidas no local, foi libertado em Março de 2019. No fim da sua actuação, não só granjeou uma ovação de pé, como convenceu o jurado Simon Cowell a juntar-se à luta pela reforma do sistema judicial dos EUA.

Da cosmética para a justiça criminal

Kim Kardashian tornou-se conhecida graças ao programa Keeping Up with the Kardashians, do canal E!, que, ao longo de 13 anos e 18 temporadas, acompanhou a par e passo as vidas das quatro filhas de Robert Kardashian (1944-2003), o advogado americano de origem arménia que se notabilizou por ter assumido a defesa do jogador de futebol americano O.J. Simpson, acusado do assassínio da mulher, Nicole Brown, e do amigo Ron Goldman.

Paralelamente, Kim fez fortuna nas áreas relacionadas com a beleza e a moda e, pelo caminho, casou com o não menos conhecido Kanye West, com quem tem quatro filhos, tendo até conseguido, em 2015, um lugar na lista das cem personalidades mais influentes do mundo, segundo a conceituada revista Time.

Mas, é o “bichinho” da advocacia, herdado do pai, que parece ainda não ter conseguido apaziguar. E, em 2019, à margem do 23.º Congresso Mundial de Informação e Tecnologia, onde se apresentou como oradora, falou, numa entrevista à Reuters, sobre a sua intenção em promover a contratação de ex-condenados para que estes tenham a oportunidade de regressar à vida activa e em sociedade. Já antes, numa entrevista à Vogue, tinha informado ter ingressado num programa de estágio de quatro anos, com o qual se pode candidatar ao exame da ordem que lhe permitirá  exercer advocacia sem frequentar um curso universitário.

Com o novo podcastque contará com o trabalho de investigação da produtora de televisão Lori Rothschild Ansaldi, Kim Kardashian dá mais um passo no sentido de promover a justiça criminal para muitos reclusos, condenados sem provas e que, graças às tecnologias actuais, têm hoje uma oportunidade de serem inocentados. Já sobre o negócio em si nenhum detalhe foi divulgado.

A Spotify, que tem mais de 700 mil podcasts na sua plataforma e atinge quase 300 milhões de utilizadores por mês, tem vindo a investir em grandes nomes para atrair audiências para conteúdos não musicais. 

Sugerir correcção