Fotografia

E se as fotos do Porto a preto e branco ganhassem cor?

Manuel de Sousa, criador do Porto Desaparecido, começou a dar cor às fotos antigas que partilha. O amor à cidade uniu mais de 100 mil pessoas numa página de Facebook, cujo objectivo passa por "ir buscar inspiração à história para enfrentar o futuro".

Construção da Ponte Luís I, em 1883.
Fotogaleria
Construção da Ponte Luís I, em 1883.

Corria o ano de 2012, e uma grande crise com a troika à mistura, quando Manuel de Sousa criou a página Porto Desaparecido no Facebook, em que  partilhava fotografias e vídeos antigos da cidade do Porto. "Na altura estávamos a passar um período complicado com muita insegurança em relação ao futuro e achei que seria interessante ir buscar à historia inspiração para enfrentar o futuro", explica o historiador ao P3. Portuense de gema, nascido e criado no centro histórico, Manuel não esperava que a página, hoje com 111 mil seguidores, crescesse tanto, mas começou a perceber que o "amor à cidade" unia mais gente do que pensava

Oito anos depois, o projecto abraça uma nova vertente. Manuel de Sousa começou agora a dar cor às fotografias antigas, a dar-lhes uma nova roupa. "Fazemos o processo artificialmente, através de programas digitais e softwares gratuitos", explica. "Este trabalho faz-se através de cores, algoritmos… é preciso uma atenção e um cuidado redobrados porque se trata de um processo artificial e de aproximação", ressalva.

Manuel acredita que a colorização das fotografias antigas traz uma sensação de "realidade" que o preto e branco dificulta. "Quando vemos as fotografias e preto e branco e a sépia parece que as pessoas estão paradas, mas o mundo delas era tão colorido como é o nosso hoje. Quando vemos uma imagem a cores, parece que, de repente, a fotografia se torna actual. É essa a ideia que gostávamos de recuperar: tornar as pessoas mais reais e romper a barreira com o passado." Todas as publicações com as fotografias a cores indicam o link para a fotografia original, para que não se perca a origem das imagens.

Tal como em 2012, esta nova iniciativa do Porto Desaparecido surge também numa altura de crise. Agora, todos os dias, a página partilha ainda factos e curiosidades que aconteceram nesse mesmo dia na cidade, anos antes. Este trabalho, feito com a ajuda de um núcleo duro de cinco pessoas, veio demonstrar que "o amor pelo Porto, pelo património e pela história" são um bom combustível para combater os períodos difíceis. 

Texto editado por Amanda Ribeiro

Inauguração da Livraria Lello, em 1906.
Inauguração da Livraria Lello, em 1906. Porto Desaparecido
Bancada do Real Coliseu Portuense, na rotunda da Boavista.
Bancada do Real Coliseu Portuense, na rotunda da Boavista. Porto Desaparecido
Fiscais alfandegários pesam um pipo à saída do tabuleiro inferior da ponte Luís I para calcular a portagem a pagar para entrar no Porto, c.1910.
Fiscais alfandegários pesam um pipo à saída do tabuleiro inferior da ponte Luís I para calcular a portagem a pagar para entrar no Porto, c.1910. Porto Desaparecido
Comboinho nos jardins do antigo Palácio de Cristal, em 1934.
Comboinho nos jardins do antigo Palácio de Cristal, em 1934. Porto Desaparecido
Caleches em frente ao Palácio da Bolsa, c.1880.
Caleches em frente ao Palácio da Bolsa, c.1880. Porto Desaparecido
Hospital Militar D. Pedro V, na Avenida da Boavista, c.1900.
Hospital Militar D. Pedro V, na Avenida da Boavista, c.1900. Porto Desaparecido
Automóvel Panhard et Levassor na estrada da Circunvalação, c.1900.
Automóvel Panhard et Levassor na estrada da Circunvalação, c.1900. Porto Desaparecido
Nas escadas das padeiras, 1939.
Nas escadas das padeiras, 1939. Porto Desaparecido
Entrada da rua Escura, indo da Rua Chã, c.1900.
Entrada da rua Escura, indo da Rua Chã, c.1900. Porto Desaparecido
Último curso finalista da Escola Médico-Cirúrgica do Porto, no jardim do Hospital de Santo António, 1909-1910.
Último curso finalista da Escola Médico-Cirúrgica do Porto, no jardim do Hospital de Santo António, 1909-1910. Porto Desaparecido
Dr. Ricardo Jorge no Laboratório Municipal de Bacteriologia, 1899.
Dr. Ricardo Jorge no Laboratório Municipal de Bacteriologia, 1899. Porto Desaparecido
Missa campal e exercícios militares em frente ao quartel de Santo Ovídio no, então, campo de Santo Ovídio (actual Praça da República), c.1900.
Missa campal e exercícios militares em frente ao quartel de Santo Ovídio no, então, campo de Santo Ovídio (actual Praça da República), c.1900. Porto Desaparecido
Alunos e professores do Colégio Alemão do Porto, na época localizado na Rua da Restauração, em 1910.
Alunos e professores do Colégio Alemão do Porto, na época localizado na Rua da Restauração, em 1910. Porto Desaparecido
Afurada, em 1885.
Afurada, em 1885. Porto Desaparecido
Cortejo dos Fenianos, descendo a Rua de Ferreira Borges, no Carnaval de 1908.
Cortejo dos Fenianos, descendo a Rua de Ferreira Borges, no Carnaval de 1908. Porto Desaparecido
Mulher a carregar sal na Ribeira, em 1938.
Mulher a carregar sal na Ribeira, em 1938. Porto Desaparecido
Carro eléctrico com reboque na Avenida de Carreiros (hoje, do Brasil), c. 1900.
Carro eléctrico com reboque na Avenida de Carreiros (hoje, do Brasil), c. 1900. Porto Desaparecido
Rua da Senhora da Luz, na Foz do Douro, c.1900.
Rua da Senhora da Luz, na Foz do Douro, c.1900. Porto Desaparecido
Exposição Agrícola de 1903 no Palácio de Cristal: stand da empresa Menéres & C.ª, 1903.
Exposição Agrícola de 1903 no Palácio de Cristal: stand da empresa Menéres & C.ª, 1903. Porto Desaparecido
Colchoaria Modelar, depósito de camas e colchões, na Rua de Santa Catarina, c.1910.
Colchoaria Modelar, depósito de camas e colchões, na Rua de Santa Catarina, c.1910. Porto Desaparecido
Escavações para abertura da Avenida da Ponte (oficialmente, avenida de D. Afonso Henriques), em 1951.
Escavações para abertura da Avenida da Ponte (oficialmente, avenida de D. Afonso Henriques), em 1951. Porto Desaparecido
Largo da Pena Ventosa, c.1965.
Largo da Pena Ventosa, c.1965. Porto Desaparecido
Feira na Serra do Pilar, Vila Nova de Gaia, em 1900.
Feira na Serra do Pilar, Vila Nova de Gaia, em 1900. Porto Desaparecido
Fachada do antigo Palácio de Cristal, inaugurado em 1865 e demolido em 1951.
Fachada do antigo Palácio de Cristal, inaugurado em 1865 e demolido em 1951. Porto Desaparecido
Carvoeiras na Ribeira, em 1939.
Carvoeiras na Ribeira, em 1939. Porto Desaparecido
Gaveto das ruas de Sá da Bandeira (à esquerda) e de 31 de Janeiro (à direita), c.1930.
Gaveto das ruas de Sá da Bandeira (à esquerda) e de 31 de Janeiro (à direita), c.1930. Porto Desaparecido
Lavadeiras na zona das Fontainhas, c.1960.
Lavadeiras na zona das Fontainhas, c.1960. Porto Desaparecido
Evento nos jardins do Palácio de Cristal, c.1905.
Evento nos jardins do Palácio de Cristal, c.1905. Porto Desaparecido
Sugerir correcção