PARQUE NACIONAL DE GALÁPAGOS
Foto
PARQUE NACIONAL DE GALÁPAGOS

A libido de Diego salvou as tartarugas-gigantes. Chegou a hora da reforma

Diego voltou a casa, a ilha Espanhola, no Equador, com o sentido de dever cumprido. Participou no Programa de Restauração de Tartarugas Gigantes e é pai de 800 das duas mil crias nascidas em cativeiro. Chega a reforma, mas não se vai a fama: ficará sempre conhecido pela libido e personalidade.

Com pescoço comprido e olhinhos doces, Diego é a perdição das fêmeas. Os mais de cem anos nunca foram um estorvo no que toca a relações, principalmente para uma tartaruga-gigante, habituada ao peso da idade. Na verdade, a sua libido é tanta, que permitiu que ajudasse a salvar a sua espécie: é progenitor de cerca de 40% das duas mil tartarugas-gigantes que nasceram ao abrigo do Programa de Restauração de Tartarugas Gigantes, um programa de reprodução conduzido em cativeiro na Ilha de Santa Cruz, nas Galápagos.

Mas nada dura para sempre — e é sabido que há sempre um final para os anos dourados. No caso de Diego, a reforma chegou em Janeiro e o desejado regresso a casa aconteceu esta terça-feira, 16 de Junho. Depois de quase oito décadas fora do seu habitat natural, Diego retorna, juntamente com outras 15 tartarugas que fizeram parte do programa (e que não tiveram uma performance tão notável, diga-se), à ilha Espanhola, nas ilhas Galápagos, no Equador.

Note-se, no entanto, que Diego não foi o maior responsável pela repovoação da espécie. “Um macho mais reservado e menos carismático — o E5 — gerou cerca de 60%. O terceiro macho, E3, quase nenhum. Por isso, o Diego foi crucial”, disse James P. Gibbs, professor de biologia ambiental que integrava a investigação, ao New York Times. Mas o que tornou, então, Diego numa “turtlestar"? “Tem uma personalidade interessante — é muito agressivo, activo e vocal no que toca a hábitos de acasalamento.”

A chegada de Diego a casa foi registada Paulo Proaño Andrade, ministro do Ambiente e Água do Equador, que escreveu no Twitter que “a ilha recebia [as tartarugas] de braços abertos”. Para trás ficam os 800 filhos. Mas não lhe chamemos pai ausente: cumprido o bem maior, é hora do merecido descanso. Venha daí uma aguinha para o campeão.

Sugerir correcção