Uma app com os melhores percursos (e árvores) do Jardim Botânico Tropical

São quatro percursos para conhecer melhor as árvores e aves do jardim em Belém, Lisboa.

Foto
daniel rocha

O Jardim Botânico Tropical criou uma aplicação móvel que permite percorrer vários percursos temáticos de uma forma interactiva, ficando a conhecer melhor as plantas e as aves do espaço, apresentou a Universidade de Lisboa (UL).

O elemento água é um dos mais importantes das obras de reabilitação de 2020 Daniel Rocha
O Jardim Botânico Tropical, em Lisboa, esteve fechado durante um ano para obras de reabilitação. Daniel Rocha
O Jardim dos Cactos já não estava aberto ao público desde os anos 60 Daniel Rocha
Fotogaleria
Daniel Rocha

O projecto surgiu de uma parceria entre a Reitoria da Universidade de Lisboa e a Faculdade de Ciências de Lisboa com o objectivo de promover o jardim como espaço científico, educativo, cultural e de lazer. Esta parceria propôs, por sua vez, o desenvolvimento de uma aplicação como tese de mestrado de dois alunos de Informática: Rafael Torres, que se centrou na parte da realidade aumentada, e Stefan Postolache, que elaborou os percursos com a ajuda de uma equipa de especialistas. 

Os caminhos, que abrangem toda a área do Jardim, passam por secções como “Árvores a Não Perder”, onde se identificam as espécies mais emblemáticas, e “Jardim com História”, para conhecer as várias camadas históricas do espaço, que remontam ao século XVII. Mas há também passeios dedicados aos outros habitantes do jardim: “Aves”, que apresenta os animais mais comuns do jardim, e “Sensores da Natureza”, a partir dos quais o público poderá observar e conhecer a diversidade natural do recinto.

Foto

“A ideia era, tendo em conta o quão rico é o jardim, passar a informação de forma atractiva, em vez de sobrecarregar o espaço com placas”, explica ao P3 Dulce Domingos, pró-reitora e docente da Universidade de Lisboa. Um dos destaques, realça, é poder conhecer a evolução das árvores do jardim, que foram fotografadas por Rafael Torres durante o período de um ano. 

“Para já, estes quatro percursos poderão ser descarregados, gratuitamente, junto do edifício da Casa da Direcção”, de acordo com a informação disponibilizada pela universidade, em comunicado. O trabalho envolveu os departamentos de Informática, de Biologia Animal, de Biologia Vegetal e de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia da Faculdade de Ciências e o Museu Nacional de História Natural e da Ciência.

A app foi elaborada em português e encontra-se traduzida em inglês, francês e espanhol. O Jardim Botânico Tropical, em Lisboa, reabriu no final de Janeiro, depois de ter estado fechado durante um ano para obras de reabilitação.