Covid-19

De Vhils a Banksy: quando a arte urbana homenageia os profissionais de saúde

Vhils está a compor um mural nas paredes do Hospital São João, no Porto. A obra, que é um tributo aos profissionais de saúde, será inaugurada na sexta-feira. Por todo o mundo têm surgido homenagens a quem está na linha da frente do combate à covid-19.

Vhils está a fazer um mural no Hospital São João, no Porto
Fotogaleria
Vhils está a fazer um mural no Hospital São João, no Porto

Como em todos os momentos marcantes da história, a arte enrijece o seu papel de medidor dos tempos. No Porto, chegou a vez de Vhils, ou Alexandre Farto, deixar a sua marca. Numa das paredes exteriores do Hospital São João estão por estes dias a ser esculpidos os rostos de profissionais de saúde que têm combatido a pandemia do novo coronavírus, conforme se vê na fotografia partilhada nas redes sociais pelo médico, eurodeputado socialista e vereador da autarquia portuense Manuel Pizarro. A inauguração da obra é já na próxima sexta-feira, 19 de Junho.

Mas um pouco por todo o mundo surgem manifestações de apoio a quem está nesta linha da frente, como tantas vezes é chamada. Os profissionais de saúde mereceram ainda a atenção de Banksy, que doou uma pintura de uma enfermeira super-heroína ao sistema nacional de saúde britânico (NHS, na sigla em inglês).

Para além disto, muitas foram as ruas enfeitadas com pinturas e grafitti que homenageiam o sector. Em Nova Iorque, por exemplo, Lewis Miller está a transformar caixotes do lixo em grandes vasos de flores como forma de agradecimento. 

Texto editado por Amanda Ribeiro

Banksy
Nova Iorque, Estados Unidos da América
Nova Iorque, Estados Unidos da América Lewis Miller Design
Belfast, Irlanda do Norte
Belfast, Irlanda do Norte REUTERS/JASON CAIRNDUFF
Java Ocidental, Indonésia
Java Ocidental, Indonésia ANTARA FOTO/ADENG BUSTOMI
Liverpool, Inglaterra
Liverpool, Inglaterra Reuters/Phil Noble
Gland, Suíça
Gland, Suíça REUTERS/DENIS BALIBOUSE
Dublin, Irlanda
Dublin, Irlanda REUTERS/JASON CAIRNDUFF
Pontefract, Inglaterra
Pontefract, Inglaterra REUTERS/LEE SMITH
Sugerir correcção