Prostituição: “A petição tem em vista zelar pelos interesses de donos de bordéis e não pelos nossos”

Proposta prevê que prostituição se pratique apenas em estabelecimentos registados e exclui pessoas em situação irregular, o que leva Movimento dos Trabalhadores do Sexo e Plataforma Portuguesa dos Direitos das Mulheres a falar em motivações racistas e xenófobas.

parlamento,questoes-sociais,mulheres,direitos-humanos,prostituicao,sociedade,
Foto
Movimento dos Trabalhadores do Sexo organizou largada de balões Paulo Pimenta

A petição “Legalização da prostituição em Portugal e/ou despenalização de lenocínio, desde que não seja por coacção”, que se encontra no Parlamento, não desagrada só quem na Plataforma Portuguesa dos Direitos das Mulheres (PPDM) equipara prostituição a violência, também quem se bate pela legitimação da profissão dentro do Movimento dos Trabalhadores do Sexo (MTS).