Vagabond: pôr no mapa aquilo que é português

Vagabond Invites é um projecto português que dá a conhecer lugares desconhecidos e artistas em ascensão. Será que conhecemos, mesmo, o nosso país?

Pegar em artistas emergentes e em locais turísticos pouco conhecidos e pô-los no mapa: é esta a essência do Vagabond, um projecto multimédia que está nas mãos de um grupo de três jovens portugueses. A iniciativa partiu de Bernardo Marona, 24 anos e engenheiro de formação, e de uma vontade grande de "explorar as formas alternativas de viajar". Juntou-se a Rodrigo Rebello de Andrade e a Tiago Andrade, da área do vídeo e da fotografia, e juntos criaram a série Vagabond Invites, que explora os recantos escondidos do país e dá espaço a artistas em ascensão.

"Sempre consumi muito conteúdo audiovisual e nunca percebi porque é que determinado tipo de conteúdos, principalmente documentários, nunca tinha sido feito. Não se explora a parte mais artística do turismo", explica Bernardo, produtor da série.

A parte de vídeo está a cargo de Rodrigo, um "jovem talento" de Lisboa com apenas 19 anos que estuda cinema. Na parte da fotografia e da promoção está Tiago, de 30 anos, que vive em Cascais mas é natural de Salvador, no Brasil. 

A série Vagabond Invites conta já com dois dos seis episódios, lançados mensalmente, e até agora deu palco a Picote, em Bragança, com a participação do músico Bruno Teixeira, e à Praia do Tonel, na costa alentejana, com o artista Bruno Maurício. "Há destinos que as pessoas nem sequer conhecem. Quando lançámos o primeiro vídeo, em Picote, houve muita gente a perguntar se tinha sido filmado na Noruega ou noutro país nórdico".

Bernardo Marona acredita que o Vagabond Invites assume um "papel importante" na fase de pandemia do novo coronavírus: "Nesta altura complicada em que o turismo português foi muito afectado, vamos ter de ter uma abordagem, enquanto povo, de voltar a viajar para fora cá dentro". Para o futuro, o projecto vai passar fronteiras e explorar novos países mas, para já, exalta o bom do que é português. "Viajo muito dentro de portas e sei o valor e a variedade de paisagens, gastronomia e até as pessoas que temos em Portugal e sinto-me sortudo por viver num país com tanta variedade". 

Sugerir correcção