Boavista agrava mau momento do Sp. Braga com vitória que não se via há 18 anos

Bracarenses somaram a segunda derrota desde a retoma da I Liga e viram o Sporting alcançá-los na terceira posição da tabela da I Liga.

Foto
O Sp. Braga voltou a perder LUSA/HUGO DELGADO

O Sporting de Braga continua a não encontrar o seu caminho no campeonato. Apesar de, em teoria, a paragem da competição motivada pela pandemia de covid-19 poder ser considerada benéfica para que Custódio tivesse tempo para trabalhar a equipa — a saída de Rúben Amorim para o Sporting deixou a equipa minhota orfã de treinador — a verdade é que os resultados revelam o contrário. Nos dois jogos já disputados, os bracarenses somaram duas derrotas e viram o Sporting alcançá-los no pódio da classificação. A mais recente foi neste sábado, no seu estádio, contra o Boavista, por 1-0, algo que já não sucedia há 18 anos.

Um erro tremendo de Esgaio, já no segundo tempo, estendeu a passadeira vermelha ao Boavista. O lateral esquerdo bracarense desperdiçou o tempo de que dispôs para afastar a bola da grande área bracarense e acabou por pontapear Cassiano. Penálti indiscutível que Bueno não desperdiçou, garantindo o primeiro triunfo das “panteras” no novo estádio do Sp. Braga (o último triunfo boavisteiro ainda tinha ocorrido no Estádio 1.º de Maio, no ano em que as “panteras” foram campeãs nacionais).

Mas não se julgue que a vitória boavisteira foi apenas fruto de um acaso. A verdade é que os “axadrezados” foram sempre uma equipa organizada a defender e muito aguerrida nos duelos individuais. A consequência desta atitude foi um jogo conseguido e sem grandes sustos perto da baliza de Helton Leite.

Rolando voltou a jogar

Num embate que colocou, frente a frente, duas equipas que vinham de desaires na jornada anterior foi Custódio que mexeu menos no “onze”.

O técnico dos bracarenses promoveu a estreia absoluta de Rolando com a camisola arsenalista, jogando no lugar do castigado Raul Silva (um regresso à Liga portuguesa após oito anos e aos relvados um ano e quatro meses depois), enquanto no meio campo Palhinha ficou no banco, sendo rendido por André Horta.

Já Daniel Ramos fez três alterações na equipa boavisteira. Marlon, Idris e Dulanto foram as caras novas apresentadas nos titulares.

Com uma equipa combativa, o Boavista foi assustando Matheus em transições perigosas — e logo aos 7’ Matheus impediu um golo aos boavisteiros com uma grande defesa — enquanto o Sp. Braga o terceiro melhor ataque do campeonato, foi sentindo muitas dificuldades e raras vezes criou perigo.

Já o Boavista fez juz à fama de ter uma defesa muito sólida, em especial longe do Bessa — é a segunda melhor defesa fora de casa no campeonato, apenas ficando atrás do Benfica neste capítulo — mas ontem também conseguiu chegar perto da baliza adversária. E colocou um ponto final a uma série de maus resultados — quatro derrotas e um empate — nos seus últimos cinco encontros, tornando a permanência na I Liga uma quase certeza.

Já o Sp. Braga voltou a sentir, seis meses depois, o sabor da derrota no seu estádio para a Liga.