Presidente da Azambuja admitiu desfiliar-se do PS, mas não o fará

Luís de Sousa decidiu tornar pública uma carta enviada a responsáveis do seu partido na qual explica que pensou deixar o PS, mas não o fará

Estação de comboios na Azambuja
Foto
Estação de comboios na Azambuja Miguel Manso

As declarações de António Costa e as posições da Juventude Socialista sobre o comentário do presidente da Câmara de Azambuja a propósito de um cordão sanitário num prédio maioritariamente habitado por famílias de etnia cigana não foram bem recebidas pelos socialistas azambujenses. Luís de Sousa, presidente da câmara, confirma, em carta aberta divulgada na noite desta segunda-feira, que admitiu mesmo desfiliar-se do PS, garantindo que nenhum autarca local é racista ou xenófobo, mas que todos estão diariamente junto da população e não num qualquer gabinete de Lisboa.