Tão Gira que ela era e tão feia que ela está

Em vez de a câmara andar a patrocinar a mobilidade dos seus munícipes ou dos turistas, passou a patrocinar as multinacionais de entregas ao domicílio.

Um dos meus propósitos para 2020 deixaria Greta Thunberg orgulhosa: passei a andar de bicicleta e tornei-me cliente da rede Gira – Bicicletas de Lisboa, que, como sabem, é gerida pela EMEL. Foi preciso algum esforço, até porque não andava de bicicleta desde os 14 anos, mas agora já não quero outra coisa: gasto 25 euros num passe anual e o uso das bicicletas é gratuito em intervalos de 45 minutos, o que dá perfeitamente para quase todas as deslocações que necessito de fazer no dia-a-dia. É o transporte público mais barato da cidade, é covid-friendly (desde que se tenham alguns cuidados de higiene), permite poupar no ginásio e, claro, o ambiente agradece.