“Dear Class of 2020”: Obama, Beyoncé e Lady Gaga têm uma palavra a dizer aos jovens finalistas

A iniciativa do YouTube encheu os ecrãs com nomes como Beyoncé, Lady Gaga e o casal Obama, neste domingo.

Foto
Obama incentiva os jovens a votar e a protestar Reuters/BING GUAN

Desta vez, a famosa cerimónia norte-americana de final de ano aconteceu em formato virtual, com diversos discursos de celebridades e convidados especiais a serem transmitidos ao vivo, durante quatro horas. Desta vez, aconteceu no YouTube, numa página oficial da iniciativaDear Class of 2020”, onde se pode ler que “esta celebração é para toda a gente da turma de 2020, ensino secundário e superior”, incentivando todos os alunos que tiveram as cerimónias canceladas a assistir ao evento. Aconteceu neste domingo.

Beyoncé, um dos grandes nomes do pop, elogiou os jovens por se fazerem ouvir relativamente à morte de George Floyd, um homem negro, de 46 anos, que foi morto pela polícia em Mineápolis no passado dia 25 de Maio. Além disso, a cantora defendeu a voz das mulheres negras na indústria musical. Apesar da “crise global”, da “pandemia racial” e da “expressão mundial de indignação”, os finalistas de 2020 conseguiram completar os estudos. “Estamos tão orgulhosos”, declara a artista. “A verdadeira mudança começou com vocês, com esta nova geração de finalistas que celebramos hoje.”

“A vossa compaixão, a vossa percepção, a vossa luta por pessoas que podem ser diferentes de vocês é fantástica”, diz ainda, durante um discurso emotivo, em que destaca que “respeito é tudo”.

Também Alicia Keys elogia os mais novos por “inspirarem o mundo a ver a humanidade como um todo”, fazendo referência aos protestos. “Neste momento, pode parecer que não há nada para celebrar, mas não faz mal”, afirma. “Não estão a pensar no tempo que passaram na escola. Estão a pensar em marchar, protestar e garantir que as vossas vozes estão a ser ouvidas (…) Estão a pegar no vosso coração partido e no vosso ultraje e a transformá-los em acção”, admira Keys.

Por seu lado, Lady Gaga admite que já tinha gravado um discurso há duas semanas mas que o reescreveu devido à morte de George Floyd e aos protestos que se seguiram. “Há muitas razões para estarmos triste mas também há muito para ser celebrado. Vocês estão a assistir a um momento crucial na evolução deste país. Vocês estão a ver a sociedade a mudar de uma maneira profundamente importante”, defende.

A cantora compara o racismo a uma floresta com árvores altas — “árvores tão velhas como este país, árvores plantadas com sementes racistas, árvores com galhos preconceituosos, folhas opressivas e raízes mutiladas”. Considerando esta floresta como o sítio onde vive, Gaga refere-se aos finalistas de 2020 como as “sementes do futuro”. “Parabéns finalistas de 2020; mal posso esperar por ver a vossa floresta”, incentiva.

Depois de um discurso em conjunto com a mulher, Barack Obama termina a cerimónia com umas palavras finais aos estudantes. O antigo presidente dos Estados Unidos refere-se aos manifestantes pacíficos como “inacreditavelmente inspiradores”, e algo que o deixava optimista relativamente ao futuro. Além disso, incentiva os jovens a servir a sociedade e a não perder a fé na democracia; a votar e a protestar. “Afinal de contas, somos uma nação fundada nos protestos”, recorda.

“Vivam as lutas uns dos outros. Defendam os direitos uns dos outros. Esqueçam as velhas formas de pensar que nos dividem: sexismo, preconceito racial, status, ganância. Guiem o mundo por um caminho diferente”, incentiva. “Parabéns finalistas de 2020. Façam com que isso signifique algo e continuem a deixar-nos orgulhosos”, conclui.

A cerimónia contou com a presença de outros artistas como Taylor Swift, Billie Eillish, Jennifer Lopez e Katy Perry. Também a antiga secretária de Estado Condoleeza Rice falou aos estudantes. “Finalistas de 2020 criem a vossas próprias regras”, pede. “O mundo vai ser melhor por vossa causa.”

Antes da iniciativa “Dear Class of 2020”, já outras celebridades tinham endereçado algumas palavras especiais aos finalistas deste ano, como foi o caso do apresentador e comediante Conan O'Brien, e Meghan Markle, duquesa de Sussex.