Empresas terão tecto mais alto para deduzir prejuízos de 2020 e 2021

Governo abdica do agravamento das tributações autónomas, isenta total ou parcialmente os pagamentos por conta e ajusta reporte dos prejuízos fiscais.

Foto
Programa de Estabilização de António Costa prevê várias medidas de apoio a nível fiscal Miguel Manso

As empresas vão contar com um tecto mais alto para deduzir os prejuízos fiscais de 2020 e 2021 quando, passados os efeitos económicos mais severos desencadeados pela pandemia, voltarem a registar lucros.