Torne-se perito

Festival Jazz em Agosto substituído por Jazz 2020 apenas com artistas portugueses

Iniciativa visa “apoiar o regresso dos músicos portugueses de jazz ao palco”, revelou esta segunda-feira a Fundação Calouste Gulbenkian.

A harpista e compositora espanhola Angélica Salvi
Foto
A harpista e compositora espanhola Angélica Salvi Renato Cruz SaA harpista e compositora espanholantos

O festival Jazz em Agosto, em Lisboa, cede este ano o lugar ao Jazz 2020, para “apoiar o regresso dos músicos portugueses de jazz ao palco”, revelou esta segunda-feira a Fundação Calouste Gulbenkian.

Por causa da pandemia da covid-19, este ano não acontecerá a 37.ª edição do Jazz em Agosto, com a fundação a decidir organizar um festival focado no jazz nacional e com concertos em Lisboa, mas também haverá no Porto e em Coimbra, fruto de uma parceria com a Associação Porta-Jazz e o Jazz ao Centro Clube.

Assim, o Jazz 2020 decorrerá durante dois fim-de-semana, de 31 de Julho a 9 de Agosto, com seis concertos no anfiteatro ao ar livre da Fundação Gulbenkian. Estão previstos ainda dois concertos no Porto e outros tantos em Coimbra, em datas e locais a anunciar.

Depois de meses de paralisação da actividade cultural, por causa da covid-19, a organização explica que este festival é “uma oportunidade única para apoiar mais de 60 músicos e as equipas técnicas envolvidas” no Jazz 2020.

O festival arrancará em Lisboa a 31 de Julho com o colectivo Coreto, formado por doze músicos ligados à cidade do Porto, seguindo-se a trompetista Susana Santos Silva (que também faz parte do Coreto), a 1 de Agosto.

No dia 2 haverá duas actuações, da harpista espanhola, radicada no Porto, Angélica V. Salvi, e do trio The Selva, formado por Ricardo Jacinto (violoncelo)​, Gonçalo Almeida  (contrabaixo) e Nuno Morão (percussão).

De 7 a 9 de Agosto, acontecerão as actuações do pianista Daniel Bernardes com o Drumming Grupo de Percussão (dia 7), do baterista João Lencastre, a liderar o grupo Parallel Realities (dia 8), e do colectivo feminino Lantana com o saxofonista João Mortágua (dia 9).

Apesar de não ter datas nem locais ainda anunciados, em Coimbra, o Jazz 2020 contará com actuações de dois trios: TGB, de Sérgio Carolino, Mário Delgado e Alexandre Frazão, e o trio de Luís Vicente, Hugo Antunes e Pedro Melo Alves.

Para o Porto estão agendados concertos do trio do contrabaixista André Rosinha e ainda de Ricardo Toscano, com Rodrigo Pinheiro, Miguel Mira e Gabriel Ferrandini.

Sugerir correcção