Torne-se perito

Ministro do Ambiente congratula-se com abertura das praias mas pede cumprimento das regras

A aplicação Info Praia tem falhas na actualização da informação em tempo real das praias. Ministro diz que mês de Junho servirá para afinar a app.

covid19,coronavirus,epoca-balnear,ministerio-ambiente,politica,praias,
Foto
LUSA/ANTÓNIO COTRIM

O ministro de Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, congratulou-se, este sábado, com a abertura da época balnear, mas considerou que os cidadãos têm de ser cuidadosos no cumprimento das regras.

“Era fundamental que as praias abrissem para que as pessoas pudessem descansar e dinamizar a economia que gira à sua volta, mas tudo em segurança” afirmou o ministro do Ambiente e da Acção Climática em Portimão, na cerimónia de abertura da época balnear, que decorreu na Praia da Rocha. 

O ministro revelou-se orgulhoso “por não haver praias privadas em Portugal”, defendendo que o “acesso ao areal deve ser livre, mas há que garantir as regras impostas este ano”.

Depois de uma visita à praia para ver como foram implementadas as medidas contra a propagação da covid-19, o governante destacou a necessidade de garantir as distâncias de segurança “de metro e meio entre cada grupo e os três metros entre os chapéus-de-sol”. Evidenciou ainda as soluções encontradas pelas autarquias e concessionários para melhorar os acessos, tendo alguns “desenhado caminhos para entrar e para sair” das praias.

Não havendo a necessidade de utilização de máscara quando se frequenta a praia, “este deve ser usada nos apoios de praia” e “devidamente descartadas nos recipientes do lixo adequados”, relembrou.

Info Praia: uma aplicação por afinar

Sobre a possibilidade de “850 mil pessoas puderem estar nas praias portuguesas em simultâneo”, o ministro destacou a aplicação Info Praia, apresentada na cerimónia, advertindo no entanto que não foi possível fazer todos os testes. 

Destacando estar a acompanhar “a cada 30 minutos a aplicação”, Matos Fernandes afirmou que por todo o país “informação está a ser carregada”.

O PÚBLICO descarregou a aplicação e já tinha noticiado que, às 12h35, as três praias da Fonte da Telha, no limite entre os concelhos de Almada e Sesimbra, registavam uma ocupação elevada, assinalada pela cor amarela. Desde então, a última actualização das três praias, às 16h50, mostra que têm a ocupação baixa (com a cor verde).

À hora de publicação deste artigo, o PÚBLICO confirmou que a actualização das informações das praias varia de local para local. Por exemplo, as praias de Cascais como São Pedro do Estoril ou Carcavelos tinham a última actualização registada às 15 horas. Já as praias da Costa da Caparica, em Almada, como as praias da Rainha ou da Saúde, têm as suas últimas actualizações às 16h51 e 16h53 respectivamente. 

Mais a Sul do país, em Odeceixe, a última actualização foi às 7 horas da manhã. Já em Faro, a praia de Faro e da Ilha do Farol foram actualizadas pela última vez às 12h30. 

O ministro explicou, na cerimónia de abertura, que o mês de “Junho será para afinações” da aplicação - o que poderá explicar as falhas na actualização da informação - e garantiu que em Julho e Agosto, meses de maior afluência das praias, “a afinação estará concluída”.

Sugerir correcção