Covid-19: Teixeira Duarte confirma 63 trabalhadores “positivos” após rastreio a 3500 trabalhadores

Construtora adianta que todos os trabalhados estavam assintomáticos, aos quais já foram aplicadas “todas as recomendações da DGS”.

Foto
Governo pediu rastreio a empresas de contrução nelson garrido

A construtora Teixeira Duarte confirma que os testes massivos realizados aos seus trabalhadores directos, cerca de 2000, e de subempreiteiros, mais 1500, identificaram 63 infectados com o novo coronavírus, todos assintomáticos. A empresa, com várias obras na região de Lisboa, região onde se têm verificado um aumento de casos, adianta que “não tem a trabalhar qualquer pessoa que apresente sintomas ou cujo teste tenha dado positivo”.

A informação relativa ao número de infectados já tinha sido avançada pela TVI, mas a empresa esclarece que o universo de trabalhadores testado é mais elevado, uma vez que abrange os subcontratados.

Em informação enviada ao PÚBLICO, a construtora refere que já tinha implementado um conjunto de medidas de controlo, na sequência das quais tinham sido identificados “menos de dez casos positivos até ao início da semana, também assintomáticos”. A pedido da Direcção Geral da Saúde (DGS), para que as empresas de construção fizessem testes aos seus trabalhadores, “a Teixeira Duarte prontamente procedeu esta semana a uma testagem massiva no universo de pessoas em obra, tendo, até este momento, sido diagnosticados de 63 testes positivos, todos eles de pessoas assintomáticas”, adiantou a fonte.

Entre “as múltiplas medidas de controlo e mitigação da covid-19 que já tinham sido adoptadas, desde o início, em todas as obras”, a empresa destaca “a ampliação de balneários e refeitórios, medição de temperatura, equipamentos de protecção, logísticas para evitar contactos com zonas de possível contaminação, procedimentos regulares de higienização dos locais, regras de utilização e lotação de espaços e de entradas e saídas dos locais) em muitos casos em articulação específica com a própria DGS e demais entidades das obras (dono de obra, fiscalização e autoridades”. E acrescenta que “em nenhuma obra da Teixeira Duarte trabalharam colaboradores que tivessem sintomas, ou que tivessem tido resultados positivos nos testes que fizeram”.

Na região da grande Lisboa, o número de infectados à covid-19 têm vindo a aumentar, uma parte significativa dos casos verificados em ambiente de trabalho, que legou o Governo a tomar um conjunto de medidas para evitar maior contagio, como o adiamento da abertura dos centros comerciais, lojas com mais de 400 metros, ou lojas do cidadão.