Taxa de desemprego nos EUA surpreende ao cair para 13,3% em Maio

Analistas antecipavam forte aumento de desempregados, depois de em Abril a taxa ter atingido 14,7%, o valor mais elevado do pós-guerra.

Para além da pandemia, protestos pela morte de George Floyd poderão ter impacto na economia dos EUA
Foto
Para além da pandemia, protestos pela morte de George Floyd poderão ter impacto na economia dos EUA Reuters/KAI PFAFFENBACH

A taxa de desemprego nos Estados Unidos registou uma descida inesperada em Maio, para 13,3%, interrompendo a forte subida do mês anterior, apesar da pandemia de covid-19, o que levou alguns analistas a falar de “uma grande surpresa”.

Os dados divulgados esta sexta-feira pelo Departamento do Trabalho, revelam que foram criados 2,5 milhões de empregos no mês passado, quando a expectativa era de uma forte destruição de empregos. 

Em Abril, a taxa de desemprego triplicou, para 14,7%, superando o valor mais elevado do pós-guerra, que foi atingido em Novembro de 1982, nos 10,8%.

Os analistas esperavam que a taxa de desemprego voltasse a disparar e ficasse perto de 20%, numa altura em que muitas empresas estavam ainda encerradas devido às medidas de confinamento para conter a pandemia. As primeiras reaberturas verificadas em Maio, em particular no comércio e restaurantes, explicam a recuperação observada.

Em Fevereiro, a taxa de desemprego tinha ficado em 3,5% e em Março atingiu 4,4%, triplicando em Abril, para 14,7%, devido à forte destruição de empregos em sectores ligados à hotelaria e lazer, construção, educação e serviços de saúde, bem como no comércio retalhista.

Para além da pandemia de covid-19, que já vá em 100 mil mortes, as manifestações contra a morte de George Floyd, nas últimas semanas, podem ainda vir a ter impacto na economia norte-americana.

Sugerir correcção